Wednesday, 31 December 2008

SIDNEY A CIDADE POR QUE ME APAIXONEI!


SIDNEY E UMA CIDADE IMPAR. UMA DAQUELAS CIDADES EM QUE NOS APAIXONAMOS A PRIMEIRA VISTA!

E COMO NAO DEIXARIA DE SER SIDNEY, A CIDADE APAIXONANTE JA ESTA EM 2009! PARABENS SIDNEY!

Tuesday, 30 December 2008

MORREU PROFETA! UM JOVEM IRREVERENTE E TRABALHADOR

Monday, 29 December 2008


Caros Colegas,

Acabo de receber via sms a informacao de que o nosso colega, Profeta perdeu a vida esta manha no HCM! E uma noticia triste nao so para a familia mas para todos nos!

Para alem de lamentarmos a perda deste jovem talento, importa reflectirmos sobre a vida e a morte. Sobre o nosso proposito na terra, entanto que seres humanos, jovens e cidadaos nao so do pais mas tambem do mundo!

Deus nao nos fez por nos fazer! Fez-nos com um proposito e e importante que em cada momento de vida nos recordemos desse proposito! Muitas das vezes andamos tao apressados que nos esquecemos do nosso proposito! Muitos chegam ate ao fim da vida sem descobrirem o proposito da nossa presenca na terra!


Aproveitemos pois este momento de dor e de tristeza para que cada um de nos possa reflectir nao apenas sobre a vida e a morte, mas sobretudo sobre o proposito da nossa visita ao planeta terra.

Nao e segredo para ninguem que o nosso colega e amigo foi vitima do HIV-SIDA! Mas mais do que isso importa reflectirmos sobre nossos comportamentos sexuais e a atitude que cada um toma em relacao nao apenas a sexualidade mas tambem em relacao ao HIV-SIDA!

Cada um pode tirar as suas ilacoes, mas para mim a licao mais importante desta odisseia e a necessidade de aceitarmos que o HIV-SIDA existe, e que temos que combater energicamente o dogmatismo que existe em relacao a esta doenca.

O nosso irmao que hoje nos deixou sabia que estava infectado, mas nao partilhou a tempo essa informacao para que o pudessos ajudar! Quando nos demos conta ja tinhamos perdido muito tempo e ja nessa altura os medicos que contactei disseram que provavelmente fosse tarde demais!

Ai caros colegas vem a licao dois. Hoje em pleno seculo XXI, ja nao se justifica perdermos talentos como o do nosso irmao Profeta por causa do HIV-SIDA! Apesar de nao haver vacina ou cura, hoje a medicina e a ciencia fizeram avancos dignos desse nome e que podem prolongar a vida do doente por varios anos! A licao dois como dizia e partilhar a nossa condicao com os mais proximos!


Espero que a morte do nosso irmao nao tenha sido em vao! Que saibamos tirara as licoes e ilacoes que que esta situacao nos traz e ensina para que possamos contruir um pais, um continente e um mundo melhor!

Esta e a minha singela homenagem a este Homem, que muitos nao 'conhecem' apesar de o conhecerem! Um homem trabalhador e lutador, um homem digno desse nome; um homem corajoso e exemplar no cumprimento das suas tarefas profissionais.

Nao sei onde Profeta nasceu. Da familia dele apenas conheco a esposa e o filho menor, com quem nos derradeiros momentos da sua vida partilhei o tecto! Do pai apenas sei que foi antigo combatente da luta de libertacao nacional. Conheci o Profeta durante os meus anos de activismo juvenil, num dos encontros da juventude pelo pais adentro. Profeta era um jovem cheio de entusiamo, cheio de ideias e trabalhador. Trocamos algumas impressoes e desse encontro nasceu uma grande amizade!

Quando criei o Diario da Zambezia, a tres anos, Profeta juntou-se a iniciativa e era amigo inseparavel de um outro jovem que infelizmente Deus quis que nao estivesse hoje na nossa companhia- o saudoso Cremildo, com quem partilhou a recolha e seleccao de uma colectanea de poemas de jovens zambezianos, -ainda por publicar! Mais tarde, Profeta criou uma coluna semanal no Diario da Zambezia com a chancela: 'Cartas de Mavirigano ao Povo Machuabo' - um grito e apelo aos jovens da terra que o viu nascer. Do seu punho saiu a mais incisiva critica e satira sobre a forma e o modo de estar do Zambeziano e a hipocrisia da nossa Juventude! Bloguei varios dos seus artigos, partilhei com muitos amigos os seus rabiscos, e aprendi muito com a escrita deste jovem, que tinha o sonho de um dia ver sua obra publicada!

Profeta era um homem amargurado e incompreendido. Amargurado porque vitima do 'sistema'. Incompreendido, porque, como ele proprio dizia, 'usado' e atirado o caixote do lixo por aqueles a quem serviu e deu o seu saber!

Do que sei, Profeta foi o fundador e Primeiro Coordenador Provincial do CPJ - Conselho Provincial da Juventude na Zambezia! Infelizmente, ha dois anos, Profeta teve que abandonar o cargo para que fora eleito, por razoes que tem a ver, no dizer do proprio, com 'intolerancia politica na provincia da Zambezia'! Nao sei ate que ponto, mas a carta, que pretendo publicar, que a mim enderecou ha alguns anos atras, na altura em que decidu abandonar o posto e a provincia da Zambezia rumo a Maputo, mostra o quao amargurado o jovem se encontrava!.


E uma trajectoria triste! Uma trajectoria igual a trajectoria de muitos jovens deste pais. Jovens que dao o seu saber a causa da juventude e depois sao rejeitados por essa mesma causa, ou entao por oportunistas sem escrupulos que se querem servir dessa mesma causa!

Aprendamos pois do exemplo e da tenacidade deste jovem que foi forcado a emigrar para a capital do pais, pois no seu dizer, 'todas as portas se iam fechando', porque ousou 'pensar e agir diferentemente'! Sem dinheiro e sem recursos, confiando apenas no seu cerebro e no seu computador para vencer, Profeta partiu para a cidade sonho- Maputo! Com o sonho de vencer! Infelizmente o HIV-SIDA traiu-o na sua vontade firme de vencer!

Decidi tornar este caso publico, para que a morte deste nosso irmao, nao tenha sido em vao! Para que tenhamos em mente que SIDA existe e que SIDA mata! Para que possamos salvar milhares de vidas da nossa juventude, num pais que precisa dessa juventude para crescer! Para que a nossa geracao veja o HIV-SIDA como uma realidade com que se deve aprender a viver e a conviver!

Nao foi facil escrever esta carta! Se que nem todos os que a lerem concordarao com o conteudo. ESPERO QUE ELA NAO AFECTE NEGATIVAMENTE AS PESSOAS PROXIMAS E OU DIRECTAMENTE ENVOLVIDAS! MAS PENSO QUE A CAUSA, A LUTA CONTRA O TABU EM RELACAO AO SIDA E MAIOR QUE QUALQUER DOR E IMPACTO NEGATIVO! ESCREVO-A CIENTE DOS CUSTOS E DOS RISCOS! MAS SE QUEREMOS MUDAR A NOSSA ATITUDE EM RELACAO AO HIV-SIDA TEMOS QUE COMECAR DE ALGUM LADO!

AMIGO, IRMAO, COMPATRIOTA DE TRINCHEIRA PROFETA, DESCANSE EM PAZ! APRENDEREMOS DO TEU EXEMPLO! E CONTINUAREMOS COM A LUTA PORQUE ONDE CAI UM EMBONDEIRO, NASCEM MILHARES DE EMBONDEIROS, MAIS ROBUSTOS E MAIS FRONDOSOS PORQUE ADUBADOS PELA EXPERIENCIA DO EMBONDEIRO CAIDO!


Manuel de Araujo

Uma colera imperialista?

Uma outra forma de ler a crise: Cólera como resultado da guerra contra Zimbabwe

A CRISE zimbabweana está a intensificar-se. A inflação é incalculavelmente alta. O Banco Central limita – até ao insuportável – a quantidade de dinheiro que os zimbabweanos podem retirar das suas contas bancárias, diariamente. Os soldados desarmados amotinam-se, com as suas armas guardadas “a sete chaves”, para evitar levantamentos armados. O pessoal médico não se apresenta aos seus postos de trabalho. Os serviços de abastecimento de água têm falta de produtos químicos necessários para o tratamento da água para o consumo humano. A cólera, facilmente evitável e curável em circunstâncias normais, tem se alastrado de forma acelerada, chegando o Governo a declarar um estado de emergência humanitária.

Para mais detalhes clique aqui

Maputo, Terça-Feira, 30 de Dezembro de 2008:: Notícias

Militares na Beira prendem e executam ex-escrivão de direito

Beira (Canal de Moçambique) – Cipriano Mussa Jacob, ex-juiz de juiz-presidente em tribunais nos distritos de Búzi (1988-1993), Machanga (1995-1998) e ex-escrivão no Tribunal Judicial da cidade da Beira (1999-2002) foi assassinado a tiro por militares das Forças Armadas de Defesa de Moçambique na sequência de uma rixa que se iniciou no Quartel do Dondo e terminou na Base Aérea da Beira.
De acordo com David Mussa Jacob e Moisés Nunes, respectivamente filho primogénito e sobrinho do malogrado ex-funcionário da Justiça, Cipriano Mussa Jacob, a vitima, encontrou a morte na manhã do dia 21 do corrente mes (domingo) na Base Aérea da Beira, localizada na zona Manga, nas imediações do Aeroporto Internacional da Beira, após de ser atingido com tiros no pé, disparados por um militar em serviço, cujo nome não revelaram.
A família do malogrado, segundo explicação que nos foi dada pelas fontes atrás mencionadas, só veio a ter conhecimento da ocorrência, na terça-feira (23), isto é passados dois dias após o homicídio que agora fonte militar alega ter sido em jeito de defesa, no dia 21.

Para mais detalhes clique aqui

Morreu Samuel Huntington, autor do ensaio "Choque de Civilizações"

Aos 81 anos de idade


O politólogo norte-americano Samuel Huntington, autor do conhecido ensaio “Choque de Civilizações”, morreu na véspera de Natal, aos 81 anos, anunciou hoje Universidade de Harvard, na sua página oficial.

Antigo professor desta prestigiada universidade da Ivy League, Samuel Huntington leccionou até 2007, abandonando o ensino “após 58 anos de bons e leais serviços”, lê-se no comuinicado divulgado hoje.

Huntington, que faleceu na sua residência em Vineyard, no estado do Massachusetts, foi autor, co-autor e editor de 17 obras e 90 artigos científicos sobre política norte-americana, democratização, política militar, estratégia e ainda sobre política de desenvolvimento.

Nascido a 18 de Abril de 1927, em Nova Iorque, Samuel Phillips Huntington licenciou-se na prestigiada Universidade de Yale, começado a ensinar em Harvard aos 23 anos.

Apesar da sua vasta obra, o nome de Huntington é sobretudo associado à teoria do choque de civilizações, formulada num ensaio publicado em 1993 na revista e "Foreign Affairs" e desenvolvida, três anos mais tarde, num livro que viria a ser traduzido para 39 línguas. Para o politólogo, no mundo do pós-Guerra Fria, os conflitos não oporiam mais os Estados-nações, mas nasceriam das diferenças culturais e religiosas existentes entre os povos.


In http://ultimahora. publico.clix. pt/noticia. aspx?id=1354276

Monday, 29 December 2008

Meu desabafo (como Professor):

Na semana passada comprei um produto que custou 1.520,00MT.
Dei à balconista duas notas de 1.000,00MT cada totalizando 2.000,00MT e ainda tirei do meu bolso 20,00MT, para evitar receber ainda mais moedas.
A balconista pegou no dinheiro e ficou a olhar para a máquina registadora, aparentemente sem saber o que fazer.
Tentei explicar que ela tinha que me dar 500,00MT de troco, mas ela não se convenceu e chamou o gerente para ajudá-la.
Ficou com lágrimas nos olhos enquanto o gerente tentava explicar e ela aparentemente continuava sem entender.
Por que estou a contar isto?
Porque quando cheguei a casa contei do sucedido ao meu pai ao qual me respondeu da seguinte forma:



Filho, não te rales pois a culpa não é tua e tudo tem a ver com a evolução do ensino desde 1950, altura em que eu estudei até aos dias de hoje, se não vejamos: Por exemplo na matemática essa evolução foi assim:

1. Ensino da matemática em 1950:
Um Fabricante de brinquedos vende um brinquedo por 100,00MT.
O custo de produção desse brinquedo é igual a 4/5 do preço de venda .
Qual é o lucro?

2. Ensino de matemática em 1970:
Um Fabricante de brinquedos vende um brinquedo por 100,00MT.
O custo de produção desse brinquedo é igual a 4/5 do preço de venda ou 80,00MT.
Qual é o lucro?

3. Ensino de matemática em 1980:
Um Fabricante de brinquedos vende um brinquedo por 100,00MT.
O custo de produção desse brinquedo é de 80,00MT
Qual é o lucro?

4. Ensino de matemática em 1990:
Um Fabricante de brinquedos vende um brinquedo por 100,00MT.
O custo de produção desse brinquedo é de 80,00MT
Qual é o lucro?
Escolha a resposta certa, que indica o lucro:
( ) 20,00MT ( )40,00MT ( )60,00MT ( )80,00MT ( )100,00MT

5. Ensino de matemática em 2000:
Um Fabricante de brinquedos vende um brinquedo por 100,00MT.
O custo de produção desse brinquedo é de 80,00MT.
O lucro é de 20,00MT.
Está certo?
( )SIM ( ) NÃO

6. Ensino de matemática em 2008:
Um Fabricante de brinquedos vende um brinquedo por 100,00MT.
O custo de produção desse brinquedo é de 80,00MT.
Se você souber ler coloque um X no 20,00MT.
( )20,00MT ( )40,00MT ( )60,00MT ( )80,00MT ( )100,00MT



Conclusão:



Os Kotas exageram sim quando comparam as gerações, mas nesta HÁ QUE REFLECTIR.

A Opiniao de Noé Nhantumbo

INDIA-PAQUISTÃO TENSÃO AUMENTA
Será guerra a vista?

De acordo com algumas fontes de entidades ligadas a segurança ou serviços secretos do Paquistão, citados pela AP há entre 1 em 3 possibilidades de termos guerra.
De momento há militares que se encontravam na fronteira com o Paquistão sendo desdobrados para a fronteira com a Índia.
Depois dos acontecimentos trágicos de Mumbai tem se multiplicado acusações entre os dois países sobre a origem dos militantes islâmicos que desencadearam o ataque.
São dois países possuidores de armas nucleares que se estão confrontando verbalmente. São dois países que desde 1947 tiveram entre si três guerras.
Os EUA, encabeçam esforços da NATO para conter uma rebelião dos talibans no Afeganistão e para isso contam com o apoio das autoridades de Islamabad. Por outro lado os EUA numa ofensiva diplomática sem precedentes, aliaram-se também a Índia tudo com vista a conter a proliferação nuclear na área.
A intervenção dos Estados Unidos da América naquela região do mundo acontece depois do fatídico 11 de Setembro. A legitimidade de procurar pelos terroristas que atacaram os EUA não pode ser negada a este país. Já a metodologia e abordagem escolhida pela administração Bush pode ser questionada.
Um dos pontos que urge questionar é se a abordagem unilateral de Bush tem surtido os efeitos pretendidos. Mesmo levando atrás de si contigentes da NATO está claro que são os EUA que comandam as operações e que determinam os alvos a atingir.
Nestes esfgorços e de uma maneira programada os outros membros do Conselho de Segurança que poderiam prestar valiosos inputs ao processo de luta contra o terrorismo internacional tem sido relegados a posição de espectadores. Estamos falando da China e da Rússia. Se para estes dois países a acção americana as vezes choca com suas áreas de influência tradicional, isso não deixa de colocar na mesa as possibilidade que estes dois países e outros da região, estarem interessados num papel mais activo.
Na definição de terrorismo abundam teorias e causas. Mas isso não significa que uma acção unilateral seja a melhor escolha.
Parece que o governo americano tem uma definição de terrorismo consoante este lhe afecte. A globalização das acções terroristas não está encontrando uma interpretação do fenómeno que corresponda ao modo efectivo de actuação dos diversos grupos que se dedicam a esta actividade. Quando algo acontece em Madrid ou em Londres a imprensa internacional não tarda a destacar os factos. Quando piratas do mar atacam barcos ocidentais com mercadorias ou turistas o mesmo recebe atenção especial. Mas quando há um golpe de estado na Mauritânia ou na Guiné-Conacry isso recebe uma atenção marginal. Esta incapacidade de olhar para os assuntos de maneira global e ver neles uma estratégia em progressão pode estar inquinando os esforços de controlar algo que já se transformou numa praga internacional e que alterou a maneira como as pessoas viviam e viajavam.
Se a administração de Bush se despedir do poder com uma guerra entre a Índia e o Paquistão isso vai acarretar prejuízos internacionais enormes numa altura de crise financeira global. A corrida aos armamentos será outra das consequências. Com o envolvimento militar haverá uma tendência de de concentrar a atenção num novo palco operacional e em consequência disso recursos já escassos, terão que ser desviados de outras frentes consideradas importantes no combate ao terrorismo internacional.
Os estrategas internacionais ligados as potências parece que tardam em aprender que não se pode disassociar assuntos que estão intrinsecamente ligados. O recrutamento de agentes do terrorismo internacional faz-se em todo o mundo. Desde que existam condições de ganhar aderentes os mentores do etrrorismo não hesitam em recrutar. Os dinheiros que financiam as suas actividades, as armas, explosivos tem alguma proveniência. Os países colocados na lista negra da administração Bush não devem estar sossegados sem reagir e que melhor meio do que abastecer os terroristas e dar-lhes guarida?
Decerto que a Rússia e a China possuem meios de inteligência e algum conhecimento bem como experiência no combate a situações de terrorismo. Decerto que os seus contactos com a Índia e o Paquistão seriam um valor acrescentado para dissuadir as partes para não enveredarem no sentido da confrontação militar.
O que a Índia possa usar como argumento para uma guerra contra o Paquistão são os militantes islâmicos que no passado receberam apoio logístico dos serviços de inteligência do Paquistão. Só que um confronto entre os dois vai mudar a estrutura do poder no Paquistão o que não beneficiaria a relação entre estes dois vizinhos. Todas as cautelas tem de ser tomadas e as potências, nomeadamente as que fazem parte do Conselho de Segurança da ONU tem de avaliar a situação no quadro de todas as suas implicações. Alguém com tendências belicistas pode tomar o poder no Paquistão e aproveitar o facto deste ser possuidor de armas nuclerares e lançar uma ataque fatal. Se os pilotos paquistaneses já dormem fardados e com botas calçadas, se estão em ponto de defesa ou alerta máximo, se há desdobramento de forças em direcção fronteira com a Índia, o assunto é demasiado sério para ser ignorado.
Do mesmo modo já é altura dos que se dizem estrategas e decisores de políticas no quadro de seus países entenderem que não se pode continuar a equacionar este assunto de conflitos, terrorismo, guerras em função de proximidade geográfica, rotas de matérias-primas estratégicas ou outros interesses nacionais.
O terrorismo se alguma coisa fez para além de trazer instabilidade internacional foi mostrar que vivemos de facto uma aldeia global e que o que afecta uns acaba afectando todos. Ninguém está imune aos efeitos do terrorismo internacional.
Então nada mais lógico que integrar cada vez mais governos no seu combate.
Os EUA não podem continuar pretendendo que podem policiar o mundo sem a intrvenção dos outros.
Pedir prudência à Índia e ao Paquistão é dever e obrigação de todos. Que os mortos de Mumbai descansem em paz e que não sejam a razão para a escalada da violência.
Os culpados dos ataques devem ser procurados e responsabilizados através de uma cooperacção aberta e sem subterfúgios.
O mundo não se pode dar ao luxo de permitir a erupção de um conflito militar entre países que possuem armas nucleraes.


Noé Nhantumbo

Chatham House Africa Programme News & Events


2008 - End of Year Message

All of us at the Africa Programme would like to thank you for your interest in our work, and to those of you who have taken the time to participate in our meetings, seek our advice and offer your expertise. We would particularly like to thank all our sponsors, listed at the bottom of this email, without the generous support of whom we would not be able to function.

Sixty one years after leading Africa to independence, Ghana ’s citizens again carry much weight on their shoulders as the election outcome there will play a significant role in how 2008 is remembered for Africa . A largely trouble free outcome will be an important reminder that, despite reverses, 2008 has seen democracy, prosperity and the rule of law deepen across much of the continent. The Africa Programme was lucky enough to play a small role in events, as throughout the year senior officials from around the world came to Chatham House to discuss how best to build on these successes and overcome the formidable challenges that remain.

Chatham House was particularly grateful to receive President Koroma of Sierra Leone , shortly after momentous elections saw a peaceful transfer of power there. Prime Minister Odinga of Kenya also met with Chatham House experts, to explain how Kenyan politicians might come together to address the root cause of the violence that began 2008 on such a tragic note. President Yar’Adua of Nigeria also spoke to a Chatham House audience, answering robust questions on the need to retain momentum in Nigeria ’s reform efforts. Finally; we were honoured to receive outgoing President Kufuor of Ghana as winner of the Chatham House Prize, underlining the high esteem with which Ghana is held internationally.

Meanwhile, conflict, poverty and injustice have remained an everyday reality for millions, and the Africa Programme has worked to highlight equally problems and ideas for addressing them across Africa . Somalia and the Horn of Africa have taken much of our time as we have sought to promote an understanding of the complex politics in the region. Instability in Eastern DRC has also been a key theme of our Congo Forum, and we have continued to seek policy options to address the problems of the Niger Delta. Despite the hope brought by elections, 2008 was the year when Zimbabwe became not just a national political disaster, but a regional humanitarian failure. Sadly; no country in Africa has been immune from poverty, disease, high food, oil and fertilizer prices, the global economic meltdown or environmental degradation.

The coming year will be full of challenges, but there are strong signs that a fundamental transformation is taking root in a growing number of African States. The African Union receives much criticism, but the suspension of Guinea shows the increasing seriousness with which the AU and sub regional organisations apply African solutions to African problems. Business in most African states has flourished, though the benefits have often been mixed. While the financial uncertainties facing the world are bound to impact Africa , the continent is likely to remain the region of the world with the fastest economic growth in 2009. As shopping malls business parks and commercial farms have sprung up across the continent, a new confidence seems to be springing up alongside, including the confidence to hold national governments to account, as well as those foreign governments and businesses that are now investing in increasing numbers.

The coming year will be a key test of gains made so far, and Chatham House will be closely analysing events and trends to enable policy makers, journalists, business people, academics and civil society groups discuss and to respond in an ever more complex and demanding decision making environment. We very much look forward to working with you all.

Events January 2009

Publications:

Ghana: Leading Africa Once More

Alex Vines, Director of Regional and security Research, Chatham House

http://www.chathamhouse.org.uk/media/comment/ghana/

Congo Conflict: Time to Act

Dr. Muzong Kodi, Associate Fellow, Chatham House

World Today Article, January 2009,

http://www.chathamhouse.org.uk/publications/twt/archive/view/-/id/1857/

Against the Gathering Storm: Securing Sudan ’s Comprehensive Peace Agreement

A Chatham House Report

Author – Dr. Edward Thomas

Publication Date, January 9, 2009

This new Chatham House Report will be published on the 4th anniversary of the signing of the Comprehensive Peace Agreement (CPA) that sought to reconcile the Sudanese people after decades of brutal civil war. Although conflict continues in Darfur , the unravelling of the CPA could bring destruction on an even greater regional scale. This report seeks to lay out the main issues, and suggest ways in which the international community might help Sudan to enact the CPA.

Meetings:

Entry to these expert meetings is restricted. Experts and interested individuals should apply via the email address below. Only receipt of a confirmation email from Chatham House allows entry to meetings.

Places are limited & Chatham House reserves the right to restrict access to any of its meetings without notice or explanation. Attendees may be required to present photo identification at any time.

Unless otherwise stated, if you would like to apply to attend any meeting please email Tighisti Amare at tamare@chathamhouse.org.uk stating your name and affiliation.

Friday 9 January 2009 13:30-14:30 (Note Change of time)

Launch of a New Chatham House Report on Sudan’s Comprehensive Peace Agreement

Dr. Edward Thomas, Report Author

Senior Representatives to be confirmed

On the 9th January the Sudan Comprehensive Peace Agreement (CPA) will be four years old. To coincide with this anniversary Chatham House is publishing a major new report on progress on and prospects for the CPA. The report’s author Dr Edward Thomas will be joined by key figures involved in the CPA process.

The CPA sought to bring to an end one of the longest and bloodiest civil wars in Africa and mapped a path for the future peaceful resolution of Sudan ’s internal conflicts. Now as the key milestones of national elections and a referendum on the future status of South Sudan approach, the CPA remains the best hope for avoiding a return to war. The report argues for sustained and committed international engagement to ensure that the provisions and principles of the CPA are adhered too and sets out areas where problems may arise over the next several years.

Monday 26 January 2009 13:30 to 14:30

Interpreting Current Trends in South Africa

Michael Spicer, CEO, Business Leadership South Africa .

The speaker will assess the likely medium-to long-term political trends in South Africa , commenting on the run-up to the 2009 general election. He will argue that the ousting of President Thabo Mbeki by a Jacob Zuma-led ANC, and the emergence of a breakaway grouping led by former ANC heavyweights Mbazhima Shilowa and Mosiua Lekota, are good for South African democracy. Michael Spicer is CEO of Business Leadership South Africa- an association of the CEOs and Chairmen of the largest 80 companies in South Africa .

Thursday May 7th 2009

A Major Chatham House Conference

Held in Association with British American Business

What is the Future for Africa ’s New Emerging Markets?

In recent years, interest in Africa 's emerging economies has been growing, from both sovereign and private investors, against a background of financial downturn in the West and global pressure to secure natural resources. Many increasingly dominant global players such as China , India , South Korea , Singapore , Malaysia and Brazil have been moving fast to secure investments.

The market has continued to grow despite recent global financial turmoil. What are the immediate and long term prospects for investment in Africa 's rapidly emerging markets?

Focusing on the fastest emerging economies in Sub-Saharan Africa, including Nigeria , Kenya , South Africa , Ghana , Senegal and Angola , this major event will feature leading policy makers, economists and financiers speaking on new and growing opportunities for FDI investment in Africa .

Register via http://www.babinc.org/events/london/lon_05_12_09.html











The work of the Africa Programme is principally supported by:



FCO, SHELL INTERNATIONAL, BHP BILLITON , SABMILLER, BG GROUP, SAVE THE CHILDREN, BP, ONE WORLD ACTION , ROC OIL, GOVERNMENT OF SWITZERLAND, BANCO AFRICANO DE INVESTIMENTOS, DE LA RUE, DEBEERS, HUMAN RIGHTS WATCH, MARATHON, MWANA AFRICA, LIMJE, ANGLO AMERICAN, STATOILHYDRO, EXXONMOBIL, CHRISTIAN AID, CRS, GOVERNMENT OF CANADA, GOVERNMENT OF NORWAY, CHEVRON, GOVERNMENT OF DENMARK, REVENUEWATCH, STANDARD CHARTERED BANK, VIRGIN NIGERIA, DFID, THE STAVROS NIARCHOS FOUNDATION





Many thanks for your support.





Best wishes,



The Africa Programme team



Chatham House

The Royal Institute of International Affairs

10 St James’s Square

SW1Y 4LE


0207 957 5718

MORREU PROFETA! UM JOVEM IRREVERENTE E TRABALHADOR

Caros Colegas,

Acabo de receber via sms a informacao de que o nosso colega, Profeta perdeu a vida esta manha no HCM! E uma noticia triste nao so para a familia mas para todos nos!

Para alem de lamentarmos a perda deste jovem talento, importa reflectirmos sobre a vida e a morte. Sobre o nosso proposito na terra, entanto que seres humanos, jovens e cidadaos nao so do pais mas tambem do mundo!

Deus nao nos fez por nos fazer! Fez-nos com um proposito e e importante que em cada momento de vida nos recordemos desse proposito! Muitas das vezes andamos tao apressados que nos esquecemos do nosso proposito! Muitos chegam ate ao fim da vida sem descobrirem o proposito da nossa presenca na terra!


Aproveitemos pois este momento de dor e de tristeza para que cada um de nos possa reflectir nao apenas sobre a vida e a morte, mas sobretudo sobre o proposito da nossa visita ao planeta terra.

Nao e segredo para ninguem que o nosso colega e amigo foi vitima do HIV-SIDA! Mas mais do que isso importa reflectirmos sobre nossos comportamentos sexuais e a atitude que cada um toma em relacao nao apenas a sexualidade mas tambem em relacao ao HIV-SIDA!

Cada um pode tirar as suas ilacoes, mas para mim a licao mais importante desta odisseia e a necessidade de aceitarmos que o HIV-SIDA existe, e que temos que combater energicamente o dogmatismo que existe em relacao a esta doenca.

O nosso irmao que hoje nos deixou sabia que estava infectado, mas nao partilhou a tempo essa informacao para que o pudessos ajudar! Quando nos demos conta ja tinhamos perdido muito tempo e ja nessa altura os medicos que contactei disseram que provavelmente fosse tarde demais!

Ai caros colegas vem a licao dois. Hoje em pleno seculo XXI, ja nao se justifica perdermos talentos como o do nosso irmao Profeta por causa do HIV-SIDA! Apesar de nao haver vacina ou cura, hoje a medicina e a ciencia fizeram avancos dignos desse nome e que podem prolongar a vida do doente por varios anos! A licao dois como dizia e partilhar a nossa condicao com os mais proximos!


Espero que a morte do nosso irmao nao tenha sido em vao! Que saibamos tirara as licoes e ilacoes que que esta situacao nos traz e ensina para que possamos contruir um pais, um continente e um mundo melhor!

Esta e a minha singela homenagem a este Homem, que muitos nao 'conhecem' apesar de o conhecerem! Um homem trabalhador e lutador, um homem digno desse nome; um homem corajoso e exemplar no cumprimento das suas tarefas profissionais.

Nao sei onde Profeta nasceu. Da familia dele apenas conheco a esposa e o filho menor, com quem nos derradeiros momentos da sua vida partilhei o tecto! Do pai apenas sei que foi antigo combatente da luta de libertacao nacional. Conheci o Profeta durante os meus anos de activismo juvenil, num dos encontros da juventude pelo pais adentro. Profeta era um jovem cheio de entusiamo, cheio de ideias e trabalhador. Trocamos algumas impressoes e desse encontro nasceu uma grande amizade!

Quando criei o Diario da Zambezia, a tres anos, Profeta juntou-se a iniciativa e era amigo inseparavel de um outro jovem que infelizmente Deus quis que nao estivesse hoje na nossa companhia- o saudoso Cremildo, com quem partilhou a recolha e seleccao de uma colectanea de poemas de jovens zambezianos, -ainda por publicar! Mais tarde, Profeta criou uma coluna semanal no Diario da Zambezia com a chancela: 'Cartas de Mavirigano ao Povo Machuabo' - um grito e apelo aos jovens da terra que o viu nascer. Do seu punho saiu a mais incisiva critica e satira sobre a forma e o modo de estar do Zambeziano e a hipocrisia da nossa Juventude! Bloguei varios dos seus artigos, partilhei com muitos amigos os seus rabiscos, e aprendi muito com a escrita deste jovem, que tinha o sonho de um dia ver sua obra publicada!

Profeta era um homem amargurado e incompreendido. Amargurado porque vitima do 'sistema'. Incompreendido, porque, como ele proprio dizia, 'usado' e atirado o caixote do lixo por aqueles a quem serviu e deu o seu saber!

Do que sei, Profeta foi o fundador e Primeiro Coordenador Provincial do CPJ - Conselho Provincial da Juventude na Zambezia! Infelizmente, ha dois anos, Profeta teve que abandonar o cargo para que fora eleito, por razoes que tem a ver, no dizer do proprio, com 'intolerancia politica na provincia da Zambezia'! Nao sei ate que ponto, mas a carta, que pretendo publicar, que a mim enderecou ha alguns anos atras, na altura em que decidu abandonar o posto e a provincia da Zambezia rumo a Maputo, mostra o quao amargurado o jovem se encontrava!.


E uma trajectoria triste! Uma trajectoria igual a trajectoria de muitos jovens deste pais. Jovens que dao o seu saber a causa da juventude e depois sao rejeitados por essa mesma causa, ou entao por oportunistas sem escrupulos que se querem servir dessa mesma causa!

Aprendamos pois do exemplo e da tenacidade deste jovem que foi forcado a emigrar para a capital do pais, pois no seu dizer, 'todas as portas se iam fechando', porque ousou 'pensar e agir diferentemente'! Sem dinheiro e sem recursos, confiando apenas no seu cerebro e no seu computador para vencer, Profeta partiu para a cidade sonho- Maputo! Com o sonho de vencer! Infelizmente o HIV-SIDA traiu-o na sua vontade firme de vencer!

Decidi tornar este caso publico, para que a morte deste nosso irmao, nao tenha sido em vao! Para que tenhamos em mente que SIDA existe e que SIDA mata! Para que possamos salvar milhares de vidas da nossa juventude, num pais que precisa dessa juventude para crescer! Para que a nossa geracao veja o HIV-SIDA como uma realidade com que se deve aprender a viver e a conviver!

Nao foi facil escrever esta carta! Se que nem todos os que a lerem concordarao com o conteudo. ESPERO QUE ELA NAO AFECTE NEGATIVAMENTE AS PESSOAS PROXIMAS E OU DIRECTAMENTE ENVOLVIDAS! MAS PENSO QUE A CAUSA, A LUTA CONTRA O TABU EM RELACAO AO SIDA E MAIOR QUE QUALQUER DOR E IMPACTO NEGATIVO! ESCREVO-A CIENTE DOS CUSTOS E DOS RISCOS! MAS SE QUEREMOS MUDAR A NOSSA ATITUDE EM RELACAO AO HIV-SIDA TEMOS QUE COMECAR DE ALGUM LADO!

AMIGO, IRMAO, COMPATRIOTA DE TRINCHEIRA PROFETA, DESCANSE EM PAZ! APRENDEREMOS DO TEU EXEMPLO! E CONTINUAREMOS COM A LUTA PORQUE ONDE CAI UM EMBONDEIRO, NASCEM MILHARES DE EMBONDEIROS, MAIS ROBUSTOS E MAIS FRONDOSOS PORQUE ADUBADOS PELA EXPERIENCIA DO EMBONDEIRO CAIDO!


Manuel de Araujo

A de Opinião de Noé Nhantumbo

2009 PODE MUITO BEM SER O ANO DA VIRAGEM…

Beira (Canal de Moçambique) - Importa ter a capacidade de fazer a leitura adequada ao momento e agir em conformidade sem ter receios de ofender A ou B. O momento é de tal gravidade que se impõe que cada cidadão assuma com integridade essa qualidade. O ano promete se nós quisermos fazer o país mudar realmente.
Os moçambicanos estão ansiosos de ver emergir uma liderança que substitua de maneira inequívoca uma classe política que se apresenta cansada e sem alternativas para lidar com os assuntos nacionais mais prementes.
Porque as verdadeiras bases estão acordando da longa letargia; porque os moçambicanos estão aprendendo a conhecer os políticos que têm; porque os resultados da governação não coincidem com o que os actuais governantes não se cansam de propagandear; porque as condições reais de vida dos moçambicanos não correspondem ao que se diz; porque efectivamente os moçambicanos estão se tornando adultos e exigentes para consigo próprios e exigindo uma demarcação clara entre governar e servir-se das posições governamentais, julgo que 2009 tem muito a oferecer aos moçambicanos.

Para mais detalhes clique aqui

Gilé beneficia de energia da EDM




A SEDE do distrito do Gilé, na Zambézia, está desde sábado passado ligada à rede nacional de energia eléctrica, da empresa Electricidade de Moçambique (EDM).Dos 180 novos clientes já ligados, destacam-se duas escolas, um centro de Saúde, uma esquadra da PRM, o Tribunal e o Governo distrital. Os distritos ligados à rede nacional em todo o país totalizam 78, de um total de 128.

Maputo, Segunda-Feira, 29 de Dezembro de 2008. In Notícias

Nampula continuará destino de investimentos




A PROVINCIA de Nampula tem sido um destino económico preferido e ao longo do ano de 2008 o volume de investimento ultrapassou a fasquia dos sessenta por cento do global registado no país. Depois da cidade de Maputo, Nampula é já a segunda maior praça financeira em Moçambique, facto testemunhado sobretudo com a abertura de vários balcões de agências bancárias. Numa entrevista que o governador daquela província, Felismino Tocoli concedeu ao “Notícias”, cujos extractos descrevemos de seguida, o governante afirma haver condições para dizer sem rodeios que:

PARA MAIS DETALHES CLIQUE AQUI

Maputo, Segunda-Feira, 29 de Dezembro de 2008, In Notícias

Em Inhambane: Chuva corta ESTRADA NACIONAL NUMERO UM (EN1)





O TRÂNSITO rodoviário na Estrada Nacional Número Um (EN1) está interrompida desde a noite do último sábado, por decisão do Governo da Província de Inhambane, para evitar o desabamento da ponte sobre o rio Chiotive, na região de Mahoça, no limite entre Murrombene e Massinga. A decisão foi tomada depois de coordenar com a Administração Nacional de Estradas (ANE), quando a plataforma ficou alagada em consequência das chuvas torrenciais que têm vindo a cair desde o passado dia 24 de Dezembro.
Centenas de pessoas e dezenas de viaturas encontram-se nas duas margens do rio, à espera de prosseguirem viagem logo que a situação se normalizar.

O governador de Inhambane, Itai Meque, que ontem se deslocou à zona afectada apelou aos automobilistas para acatarem as indicações dos técnicos para não criar mais danos à estrada, chamando a atenção dos cuidados a tomar, sobretudo no período nocturno.

O Ministro das Obras Pública e Habitação, Felício Zacarias, visita hoje a zona interrompida para se inteirar das reais necessidades de intervenção para a solução definitiva do problema que se tornou crónico sempre que ocorrem chuvas abundantes.

Albino Novela, director Pprovincial das Obras Públicas de Inhambane, disse que a situação começou a ficar preocupante quando o rio Chiotive transbordou, provocando o rompimento de aquedutos, situação que arrastou cinco das sete manilhas ali colocadas.

Por esta razão, a estrada ficou sem nenhuma estrutura de suporte na sua base, representando um risco iminente de queda a qualquer momento, o que motivou o Governo a decidir pela interrupção do trânsito para dar lugar às obras de emergência.

Para garantir a ligação rodoviária entre sul e centro do país está indicado o desvio Massinga-Sitila-Malaia, num troço de sensivelmente cem quilómetros, numa estrada que requer, por outro lado, a utilização de viaturas de tracção às quatro rodas.

Para resolução do problema trabalham no local desde ontem, duas empresas mobilizadas pela ANE, que têm a missão de cortar a zona danificada e fazer um aterro que possa permitir a reabertura da circulação normal o mais rapidamente possível.

Isto vem a propósito de alguns troços como as secções de Quissico, Inharrime, Lindela, Maxixe e Morrumbene se apresentarem com as bermas danificadas, o que aumenta o risco de ocorrência de acidentes de viação.

Ainda em consequência das chuvas que continuam a cair, a circulação rodoviária entre Mocoduene e Cambine, em Morrumbene, bem como a ligação Maxixe/Homoine ficaram cortadas.

Por outro lado, a via que dá acesso ao Hospital Rural de Chicuque a partir da cidade de Maxixe está igualmente em risco de ficar cortada em razão de uma ravina aberta pelas chuvas.

Vitorino Xavier; Maputo, Segunda-Feira, 29 de Dezembro de 2008. In Notícias

SEM PALAVRAS!

Two thousand and strange:


offbeat stories of the year



A selection of weird and wonderful stories from 2008: Skip related content
Related photos / videos Enlarge photo - A British woman is to divorce her husband after discovering he was having a virtual affair within the online game "Second Life".

- A passionate kiss ruptured a young woman's eardrum in southern China in what has been dubbed the "kiss of deaf".

- Republican vice presidential hopeful Sarah Palin was the victim of a prank phone call by a French-Canadian comedian impersonating French President Nicolas Sarkozy days before the presidential election. After Palin realized the call was a hoax, her campaign staff admitted she was "mildly amused".

- Twin girls who were separated at birth due to a medical error met by chance 28 years later, and one of them is now suing the Spanish hospital involved.

- Russians have long used drink to take the edge off workplace stress: one man's senses were so dulled he failed to notice a knife stuck in his back by a colleague.

- An 81-year old man in the small Chilean village of Angol shocked his grieving relatives by waking up in his coffin at his own wake.

- New Zealand's oldest immigrant, 102-year-old Briton Eric King-Turner, sailed into Wellington amid a media frenzy sparked by his decision to retire to the other side of the world.

- Officials in part of the Chinese city of Shanghai launched a campaign to dissuade residents from walking around outside in their pyjamas. The habit emerged when China's economy began to take off, and people were keen to show that they were rich enough to own such luxuries as sleeping attire.

- A US funeral business that specialises in launching cremated human remains into Earth's orbit said it had begun taking reservations for also depositing them on the Moon.

- An idealistic young British man with good media skills informed the world that he intended to walk all the way to India without once using money in any shape or form. He gave up at the first hurdle, complaining that officials in the French Channel port of Calais didn't understand English.

- Welsh-speakers in the town of Swansea were bemused by a road sign which read "I am not in the office at the moment." The text, which should have read "No entry to heavy goods vehicles", had been e-mailed to a translator who was... not in the office at the moment.

- A British woman who celebrated her 105th birthday said the secret to long life was celibacy. Sex was a "lot of hassle," she opined.

- A Cambodian couple seeking a divorce were stumped by their country's convoluted legal processes. They sawed their house in half.

- "Cooking with Balls" was the subtitle of what a Serbian chef promoted as the world's first book on testicle recipes. "All testicles can be eaten -- except human, of course," said the (male) author.

- A Swiss adventurer lived out the fantasies of many a young boy, and probably quite a few girls, by soaring into the sky on a jet-powered wing. "I felt like a bird," he said, after zooming from Britain to France.

- Bulgaria's campaign against cannabis went literally to the doorstep of power, after marijuana plants were found growing amongst the flowers outside government headquarters in Sofia.

- An 78-year-old woman who misread instructions at Sweden's main airport was whisked down a baggage chute when she placed herself, rather than her luggage, on the conveyor belt.

- Emergency surgery saved an Australian python that had swallowed four golf balls, after mistaking them for eggs.

A OPINIAO DE GRACIO ABDULA

Natal/ Dia da família em Moçambique

É extremamente difícil sintetizar sentimentos profundamente avassaladores, de alguém que viveu vinte e cinco anos fora da sua Terra, mas que agora vai passar as
Festas em casa!
A última vez que comemorara o dia da família (Natal) em Moçambique fora no longínquo ano de 1982. Era então um jovem de vinte e três anitos acabadinhos de fazer.
No ano seguinte o Natal fora passado num lugar muito frio, com temperaturas a rondar os 0 a 5 graus, no meio de pessoas desconhecidas (mais tarde esses desconhecidos tornarse-iam a sua família). Depois foram mais vinte e quatro Natais com temperaturas baixíssimas, nalguns casos no norte da Europa com o termómetro a marcar 3 ou 5 graus negativos.
Hoje 24 de Dezembro de 2008 em Vilanculo, o outrora jovem vive uma época festiva num ambiente muito quente. A azáfama é grande e os excessos de toda a natureza
abundam. Compram-se quantidades ilimitadas de refrescos, cervejas, caravelas (aguardente), vinhos “martelados” e há filas enormíssimas nas caixas ATM (Multibanco) que totalizam três em toda a Vila. No mercado local vendem-se
frutas, batatas, repolho, tomate, cenoura e outros legumes, muito raros e caros porque os solos nesta região são muito pobres, logo impróprios para a agricultura. Os transeuntes atropelam-se constantemente e limitam a circulação dos
carros. Há música barulhenta a ecoar de quase todos os cantos das barracas onde se vendem desde produtos de primeira necessidade a roupas, whisky, calçados, loiças, panelas, copos, pratos, materiais de construção, pão, velas, redes mosqueteiras, etc.
O calor abrasador com temperaturas a rondar os 35 graus centígrados é insuportável! Mas nada desencoraja essas pessoas de andarem à procura, freneticamente, de produtos
para as suas festas em família.
Este outrora jovem, alherara-se totalmente das compras para a festa, e compenetrara-se no seu projecto de 19 ha situado 10 km a Sul da Vila. De visita ao campo,
constatara que era absolutamente indispensável acelerar a sementeira de mapira e amendoim. Transmitiu essa preocupação aos trabalhadores e esses num golpe de magia acederam a comparecer ao trabalho no dia seguinte, precisamente 25 de Dezembro, dia da família. Ao encarregado, ordenara para convocar mais cinco elementos, pois havia que aproveitar a bendita chuva que já não caía há quase dez meses por essas bandas. O solo arenoso, paupérrimo para a prática agrícola, estava agora propícia para receber sementes, mas somente de certas espécies.
Ao princípio da tarde reunira-se com o Sr. Dark (um zimbabweano radicado em Moçambique que instala furos de água) para acertar a abertura de um poço para o
sistema de rega do projecto hortofrutifloricultor. Depois foi andar para cima e para baixo, em apoia à mudança de casa da Sra. Bárbara, uma cidadã de nacionalidade Suiça que vive em Moçambique há quase de vinte anos, e tem dedicado a sua vida a ajudar crianças carenciadas. O dia terminou cerca das vinte e uma horas, com um banho refrescante e noite de consoada em casa do Senhor Basílio e dona Mariana.
Este casal representa o que de melhor há em Vilanculo na arte de bem receber as pessoas de todas classes e posições sociais ou políticas. A filha Zefa, é uma mulher muito inteligente, atenta aos fenómenos de toda a natureza que ocorrem em Vilanculo e não só. É uma acelerada intelectualmente.
O jantar servido ao ar livre começou às vinte e duas horas e prolongou-se até uma e tal da manhã com muita conversa boa e agradável pelo meio.
No dia seguinte, quando eram cinco horas da man-hã já lá estavam 14 homens a trabalhar na sementeira. Fantástico!
Gritara para si mesmo vitória, pois um consultor de renome havia-o prevenido de aquelas gentes não gostavam de trabalhar e eram uns alcoólicos inveterados.
Ao meio dia em ponto, lá se deslocou ao campo para passar a refeição do dia da família com os trabalhadores. Eles eram a sua família, por isso declinara
outros convites na Vila.
O almoço foi maravilhoso, simples mas carregado de simbolismo e de sentido de gratidão. Notava no rosto de cada um dos trabalhadores. Espontaneamente eles bateram
palmas para saudar a iniciativa.
Este outrora jovem passa vida a ousar e provocar, sem intenção, todos os pseudo-intelectuais que se arrogam ao direito de tirar conclusões sobre a vida e percursos alheios, como se de magos da “ciência de adivinhação” se tratassem, ou donos legítimos da nacionalidade e territorialidade exclusiva, de uma Terra que também viu nascer outros também nacionais, cujo pecado original foi o de abandonarem
o seu País, por não aceitarem rumos em que não se reviam nem queriam.
A originalidade está no Povo. Esse mesmo Povo, por quem os melhores filhos desta Terra deram a vida, para lhes devolver a dignidade espezinhada. Hoje o seu destino
é um caminho errante porque ninguém quer mais importar-se com a sua vida deplorável. O Povo de que muitos se servem, tem uma grande tradição de obediência, por isso, tarda a hora da revolta! Esse mesmo Povo que respondia no passado “obrigado patrão” quando eram chicoteados, hoje diz “obrigado patrões” por não se importarem com o nosso destino!
Esse Povo, tem a virtude de contrariar teorias estereotipadas que o rotulam de preguiçoso e alcoólico. Tudo depende da forma como se lida e se quer estar com ele, até num dia da família.

Sunday, 28 December 2008

Guebuza reconhece derrota na Beira? GAZA E INHAMBANE DESTERRO PARA DERROTADOS DE DAVIS?

Informacoes recentemente recebidas dao conta de que o Presidente da Republica Armando Guebuza acaba de nomear Lourenco Bulha, candidato derrotado nas autarquicas da segunda maior cidade do pais, Beira, para o cargo de Governador da Cidade de Inhambane, reconhecendo desta forma a vitoria de Davis Simango. Itai Meque, ate entao governador de Inhambane vi ter que se contentar com o polemico posto de Ministro da Juventude e Desportos, em substituicao de David Simango, recentemente eleito Edil da Capital do pais.

Lembre-se qe nas eleicoes anteriores, Davis Simango derrotara o candidato do batuque e da macaroca, Djalma Lourenco que acabou sendo exilado em Xai-Xai, como Governador da Provincia de Gaza.

Se continuar a tendencia, nao sera dificil de advinhar quem sera o governador da Provincia de Maputo depois das proximas eleicoes autarquicas!

Um abraco,
MA

Ocorrências

Maputo, Sábado, 27 de Dezembro de 2008. In Notícias
UMA pessoa morreu e outras 22 contraíram ferimentos graves como consequência de seis acidentes de viação registados pela Polícia da República de Moçambique (PRM) entre quinta-feira e ontem nas estradas da província do Maputo. Para além do óbito e dos feridos, os desastres provocaram danos materiais avultados nas viaturas envolvidas. Informações prestadas pelo porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM) na província do Maputo, Joaquim Selemane indicam que estes sinistros tiveram como causas a falta de observância de algumas regras de trânsito, nomeadamente o excesso de velocidade, a não cedência de prioridade, má travessia de peões e ainda o mau estado mecânico de algumas viaturas envolvidas nos desastres. A Polícia aponta, ainda, a condução em estado de embriaguez como outra razão dos acidentes que continuam a ceifar vidas.
OUTRA pessoa morreu na noite do dia 25 nos Serviços de Urgências do Hospital Central de Maputo como consequência do agravamento da doença de que padecia quando procurou atendimento naquela unidade sanitária. O óbito faz parte de um universo de 563 pessoas atendidas na data. Segundo os dados, 466 cidadãos padeciam de doenças gerais, 35 sofriam de asma, 44 foram vítimas de acidentes de viação e 18 de agressões físicas.
UM nacional de nome X. Fumo, 30 anos de idade e residente no bairro da Liberdade, município da Matola, está detido desde a última quarta-feira, nas celas da Polícia da República de Moçambique (PRM), indiciado de ter espancado até à morte um jovem, que em vida respondia por João Ernesto Guambe. Segundo o porta-voz do Comando Provincial, Joaquim Selemane, desconhecem-se as reais motivações deste crime, mas as autoridades já estão a trabalhar para esclarecer o facto.
A POLÍCIA de Trânsito (PT) a nível da província do Maputo aplicou 12 multas a igual número de automobilistas por terem cometido diversas infracções ao Código de Estrada. As penalizações foram efectivadas num dia em que a Polícia fiscalizou 170 viaturas, segundo fonte competente.

A OPINIAO DE PEDRO NACUO

EXTRAS - A razão que Bonga tinha!

Em Novembro de 2006 um menino de 16 anos de idade, de nome Bonga Issa Agostinho, levantou-se em pleno comício orientado pelo então governador da província de Cabo Delgado, Lázaro Mathe, na sede do distrito de Macomia e colocou um problema sério. Era por causa dos exames em que dos 86 alunos que haviam frequentado a Escola Comunitária de Macomia-sede, 45, portanto mais de metade, tinham perdido o ano. Chumbaram!

Bonga que nem sequer fazia parte do grupo de colegas reprovados, pois havia passado para a décima classe, disse que não gostaria de deixar de apresentar o problema que ninguém do distrito queria levantar. Disse que havia indícios suficientes para duvidar, se bem que, por exemplo, três mulheres de professores e um sobrinho de um deles que, na sua opinião, haviam sido péssimos. Apresentou os nomes dos professores.

Contou a história com um domínio espectacular. O governador, em resposta, pediu que um professor presente explicasse publicamente o que havia acontecido. Explicou assim-assim. O aluno voltou a falar em termos convincentes. O director distrital dos Serviços Distritais de Educação, Juventude e Tecnologia, chamado a explicar o facto na mesma reunião, disse que o problema se encontrava na direcção provincial do sector. O representante daquele pelouro, que fazia parte da delegação do governador, igualmente chamado a esclarecer deixou muitas penumbras, recorrendo àquilo que se achava como solução, nomeadamente a orientação de que aqueles estudantes deveriam, excepcionalmente, ter o direito de participar nos exames da segunda época.

Bonga insistiu pedindo que a questão não terminasse com o simples recurso aos exames da segunda época, pois havia razões mais que suficientes para duvidar seriamente e estancar o mal pela raiz. Optou-se pelo mais prudente.
Na verdade, era preciso que imediatamente se formasse uma comissão que em pouco tempo desse a resposta a tudo o que Bonga havia posto publicamente em jeito de denúncia. O estudante por ordens do governador foi nomeado membro integrante da referida comissão, mais um popular, para além daqueles que faziam parte do sector acusado.

Bonga parecia um jovem “doutro tempo” principalmente quando disse que sentia que se estava numa clara situação que, querendo, se poderia pensar em corrupção e daí a necessidade de investigar para se saber se há ou não essa prática na Educação. Fê-lo sereno, respeitoso na sua explanação, sem chocar a quem quer que fosse, mas muito contundente. Na altura, sem exagero, consideramo-lo um líder em miniatura.

A atitude de Bonga, infelizmente considerada ingénua por uma boa parte, sobretudo entre os dirigentes do distrito que não gostaram da apresentação pública do problema, porque lhes punha numa situação de coniventes, hoje é vista como precisamente a que falta entre os cidadãos, dirigentes aos diferentes níveis, para que um dia termine o ciclo de mentiras que vem em relatórios, intervenções públicas de quem fá-lo para defender o seu pão. Mentindo! E afinal, Bonga tinha razão, a comissão concluiu o seu trabalho e descobriu-se que os professores, exactamente aqueles apontados pelo menino, eram culpados.

Fizeram-se os competentes processos disciplinares, as respectivas defesas e interpretações, mas chegou-se a uma conclusão muito evidente: houve pelo menos duas palavras que Bonga havia usado na reunião que não faltaram na atitude dos professores: corrupção e nepotismo. Agora estamos a saber, por via do informe da administração do distrito, que foram expulsos dos quadros da Educação. Eram, na verdade, daninhos!

P.S. Está a ser difícil trabalhar com os directores provinciais de Eliseu Machava. Combinei com seis deles, entre 7 e 10 de Dezembro, que fizéssemos a avaliação do seu desempenho em 2008. Ninguém negou, mas até hoje ninguém no dia indicado se dispôs a aceder à entrevista prometida. Razões? Muitas, mas que não explicam a ausência do dever de prestação de contas ao público a quem se diz servir!

Maputo, Sábado, 27 de Dezembro de 2008. In Notícias PEDRO NACUO

Falando no Parlamento: Chefe do Estado enaltece ganhos no combate à malária

O PRESIDENTE da República, Armando Guebuza, enalteceu os ganhos que o país está registar no combate à malária que se traduzem na redução, pela primeira vez nos últimos 20 anos, do número de casos de mortes pela doença.

'Nos últimos dois anos verificou-se uma melhoria no controlo da malária. Em 2007 e 2008, e pela primeira vez nós últimos 20 anos, assiste-se a uma significativa redução no número de casos de doença e de óbitos por malária', afirmou Guebuza.

A malária é endémica no país e é responsável por 40 por cento de todas as consultas externas e cerca de 60 por cento de doentes internados nas enfermarias de pediatria são admitidos em resultado da malária severa.

O Chefe do Estado destacou igualmente os avanços significativos que estão traduzidos na melhoria das condições de saúde dos moçambicanos e no crescimento do número de unidades sanitárias.

O crescimento, segundo o presidente, é paralelo à elevação dos níveis de conhecimento científicos e práticos dos profissionais da Saúde, distribuídos pelas unidades sanitárias do Sistema Nacional de Saúde (SNE).

Guebuza, que falava quarta-feira à Assembleia da República (AR), o parlamento moçambicano apontou a modesta redução do índice de infecção pelo HIV/SIDA de 16.2 para 16 por cento dos cerca de 20.5 milhões de habitantes em idade sexualmente activa no país.

'Trata-se de resultados encorajadores', disse o estadista moçambicano, que afirma serem, no entanto, bastante modestos, tendo em consideração o nível de empenho com vista à prevenção da pandemia.

Face à realidade, o presidente disse que o Governo decidiu criar o Grupo de Referência de Prevenção da Infecção pelo HIV com a missão de identificar, de forma mais sistemática, os factores epidemiológicos e sociológicos que continuam a impulsionar a pandemia.

Além deste organismo criado, o Governo vai continuar a prover o tratamento às pessoas infectadas tendo, para o efeito, alargado os serviços a todos os 128 distritos de Moçambique.

'Graças à expansão deste serviço, a SIDA já não é vista pelo infectado como uma inevitável pena de morte, podendo ser equiparada a doenças crónicas a exemplo de hipertensão arterial e de diabetes', frisou Guebuza.

Refira-se que até Outubro último, a Saúde tinha cerca de 212 mil pacientes em tratamento anti-retroviral, número que, segundo as projecções, aumentará para 127 mil até ao dia 31 de Dezembro deste ano. (AIM)
Maputo, Sábado, 27 de Dezembro de 2008. In Notícias

Gerais e provinciais: Eleições marcarão despesa pública em 2009

AS eleições gerais e provinciais a terem lugar no próximo ano constituem um dos grandes eixos que marcarão a despesa pública em 2009, segundo indica o Plano Económico e Social (PES), aprovado pela recém-terminada sessão da Assembleia da República.
Moçambique vai acolher em 2009 as quartas eleições legislativas e presidenciais e as primeiras eleições para as assembleias provinciais, o que requerreá, certamente, financiamento.

O PES/2009 estabelece ainda como outro grande eixo que marcará a despesa pública, o início da operacionalização da Política Salarial na Função Pública, cujo objectivo é aumentar os padrões de eficiência e qualidade na prestação de serviços públicos. Refere-se ainda à necessidade de se prosseguir com a promoção de projectos de geração de rendimentos, emprego e produção de alimentos a nível local e à implementação do projecto de electrificação rural e projectos visando estender a rede das telecomunicações às sedes distritais.

O documento prevê para o exercício económico de 2009 que as receitas do Estado atinjam o montante de 45.148,8 milhões de meticais, correspondente a 16.9 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) do presente exercício económico. Deste montante, as receitas correntes totalizarão 43.992,1 milhões de meticais, equivalentes a 16,5 por cento do PIB, enquanto as de capital totalizarão 1,191.7 milhões de meticais, cerca de 0,4 do PIB.

O Plano Económico e Social refere que apesar da conjuntura actual, caracterizada pela crise mundial dos alimentos e da subida vertiginosa dos preços dos combustíveis, as receitas correntes em 2009 deverão crescer em cerca de 1.3 pontos percentuais do PIB. Do total de receitas correntes, prevê-se que as fiscais aumentem 1,2 pontos percentuais do PIB em 2009, face a 2008, como resultado de incrementos dos impostos sobre bens e serviços e de rendimento, com variações na ordem de 0,8 pontos percentuais e 0,4 percentuais do PIB respectivamente.

As receitas de capital nomeadamente as de privatizações, de concessão de explorações e de dividendos vão atingir a cifra de 1.191,7 milhões de meticais, representando 0,4 do PIB em 2009, contra 0,7 do PIB no presente exercício.
De acordo com o PES, não obstante a previsão de crescimento das receitas, verificar-se-a a desaceleração dos níveis da sua captação como resultado da introdução de medidas de deferimento do pagamento do imposto sobre combustíveis em 2008, estimados em 804 milhões de meticais. Outrossim, com a subida galopante dos preços dos produtos petrolíferos, a cobrança das receitas para 2009 sofrerá perdas no montante de 499,3 milhões de meticais influenciadas pelas receitas das licenças de pescas com uma perda de 47,3 milhões de meticais; receitas de caça com perdas de 35,6 milhões de meticais; o imposto sobre o jogo registará perda de 25,4 milhões devido à redução do fluxo de pessoas aos casinos; perdas das receitas próprias provinciais no valor de 354,6 milhões de meticais devido à baixa execução no primeiro semestre, situada em 3,6 por cento em 2008, entre outras rubricas.

Maputo, Sábado, 27 de Dezembro de 2008:: Notícias

Em 2009: Violência doméstica nas prioridades da AR

O PRESIDENTE da Assembleia da República, Eduardo Mulémbwè, disse ontem que a aprovação da lei contra a violência doméstica será assunto prioritário no próximo ano legislativo.

Falando no encerramento da IX Sessão Ordinária do órgão legislativo, Eduardo Mulémbwè enalteceu o nível da sua produtividade, considerando-a francamente produtiva, mercê do cometimento e sentido de responsabilidade demonstrados pelos deputados em prol do interesse nacional.

O projecto de lei contra a violência doméstica fazia parte dos 23 pontos da agenda da IX Sessão Ordinária do órgão legislativo, depois de uma forte campanha de advocacia realizada em sede do Parlamento não só por grupos de pressão que congregam mulheres. Entretanto, não chegou a ser discutido nas sessões plenárias, porque as comissões acometidas para o seu exame também não se debruçaram sobre a matéria.

Eduardo Mulémbwè disse que a IX Sessão Ordinária da AR foi produtiva em 83 por cento do rol de matérias discutidas. Com efeito, para além dos 23 pontos inicialmente agendados, a Assembleia da República debruçou-se sobre mais 12 pontos, perfazendo 35.

Destes, seis pontos foram remetidos para a primeira sessão de 2009, dos quais a lei contra a violência doméstica. Em termos de iniciativa de lei, a Assembleia da República apenas produziu o projecto de Lei de Defesa e Combate à Discriminação e Estigmatização de Pessoas Vivendo com o HIV/SIDA.

Dentre os pontos da agenda discutidos destacam-se a informação anual do Chefe do Estado sobre a situação geral da nação, o Plano Económico e Social e o Orçamento do Estado para 2009, as informações do Governo, as perguntas ao Executivo, a eleição de membros dos Conselhos Superior da Comunicação Social e da Magistratura Judicial, proposta de lei que aprova o Estatuto Geral dos Funcionários do Estado e proposta de lei que cria a Comissão Nacional dos Direitos Humanos.

A cerimónia de encerramento da IX Sessão Ordinária da Assembleia da República foi marcada pelos discursos dos chefes das duas bancadas parlamentares, respectivamente Manuel Tomé e Maria José Moreno. Tanto Manuel Tomé como Maria José Moreno destacaram a aprovação, por consenso, do Estatuto Geral dos Funcionários do Estado e da Lei de Defesa dos Direitos e Combate à Discriminação e estigmatização de pessoas vivendo com o HIV/SIDA.

Maputo, Sábado, 27 de Dezembro de 2008. Notícias

Ghanaians vote for new president



A big oil discovery has raised the stakes for the race
People in Ghana have begun voting in the presidential run-off after the 7 December election failed to produce an outright winner.

Nana Akufo-Addo of the governing party is facing John Atta Mills of the opposition in the battle to succeed President John Kufuor.

Mr Addo defeated his rival by a slender margin in the first round but not by enough to avoid the run-off.

The stakes are high as Ghana has just found commercial quantities of oil.

The two candidates are closely matched and the campaign has been tense with electioneering incessant, the BBC's Will Ross reports from the Ghanaian capital Accra.

For more details please click here

Guebuza reconhece derrota na Beira?

Informacoes recentemente recebidas dao conta de que o Presidente da Republica Armando Guebuza acaba de nomear Lourenco Bulha, candidato derrotado nas autarquicas da segunda maior cidade do pais, Beira, para o cargo de Governador da Cidade de Inhambane, reconhecendo desta forma a vitoria de Davis Simango. Itai Meque, ate entao governador de Inhambane vi ter que se contentar com o polemico posto de Ministro da Juventude e Desportos, em substituicao de David Simango, recentemente eleito Edil da Capital do pais.

Lembre-se qe nas eleicoes anteriores, Davis Simango derrotara o candidato do batuque e da macaroca, Djalma Lourenco que acabou sendo exilado em Xai-Xai, como Governador da Provincia de Gaza.

Se continuar a tendencia, nao sera dificil de advinhar quem sera o governador da Provincia de Maputo depois das proximas eleicoes autarquicas!

Um abraco,
MA

Saturday, 27 December 2008

President elect Obama and the US Congress – What to expect?

During the US Presidential election campaign Barack Obama pledged on at least two occasions to take strong nuclear disarmament steps if he became president including leading an effort to achieve a nuclear weapons free world.

In the month since his successful election, has President-elect Obama given indications that he intends to fulfill these pledges, or are the politics of building a cross-partisan team and dealing with vested pro-nuclear interests dragging him back towards a more limited agenda?

Change Nuclear Weapons Policy? Yes, We Can.

The election of Barack Obama to the presidency represents a clear mandate for change on a number of fronts, including transforming outdated U.S. policy on nuclear weapons and reviving U.S. leadership on disarmament and non-proliferation. The job now is to get the needed support in Congress and the international arena.

- Daryl Kimball
Foreign Policy in Focus
25 November 2008


Some critics claim that Obama’s appointment of Robert Gates as Secretary for Defence indicates a backward slide. In a keynote address just before the election, Gates supported the development of a new nuclear weapon (the ‘reliable replacement warhead’), argued that the US should maintain its nuclear stockpile as long as other States possessed or sought to possess nuclear weapons or other weapons of mass destruction, and claimed that US nuclear weapons deter others from developing such weapons.

However, Daryl Kimball argues that Obama is committed to nuclear disarmament and is likely to lead his new administration on a determined and comprehensive disarmament path. Kimball, in an article in Foreign Policy in Focus, says that Obama demonstrated his capacity to work cross-party on concrete nuclear disarmament steps in Senate resolution 1977 which he co-sponsored with Republican Chuck Hagel. This included key steps that Obama re-affirmed in his election campaign including de-alerting current stockpiles, ratifying the Comprehensive Test Ban Treaty, negotiating further stockpile reductions with Russia, commencing negotiations on a fissile materials treaty and internationalising proliferation-sensitive nuclear fuel cycle capacities.

Kimball indicates that support in the US Congress and internationally is vital for the achievement of a number of these steps.

For more details please click here

Central Asia now officially a Nuclear Weapon Free Zone





Central Asia Nuclear Weapon Free Zone


On December 11, the Central Asian Nuclear Weapon Free Zone officially entered into force following ratification by the Kazakhstan Senate. The other four countries in the zone – Tajikistan, Turkmenistan, Uzbekistan and Kyrgyzstan - had already ratified the treaty.

The Central Asian zone joins other operational NWFZs covering the Antarctic, Outer Space, the Sea Bed, Latin America and the Caribbean, the South Pacific, and Southeast Asia. Momentum is also building for entry-into-force of a zone covering Africa, with only two more ratifications required from amongst the signatories.

The Central Asian NWFZ had taken a number of years to negotiate due to political difficulties arising from mixed military arrangements and security relationships with nuclear weapon States. Surrounded by Russian, Chinese, Pakistani, Indian, and Israeli nuclear weapons, and housing Russian and U.S. military bases, the new zone serves as a powerful example of successful negotiations to achieve a significant non-proliferation step.

The success in this region increases the confidence that other proposed NWFZs, for example in North East Asia, the Middle East, Central Europe and the Arctic, could also be successfully negotiated.

However, the success is tempered somewhat by the continued resistance by France, the UK and the United States to ratify protocols to the treaty honouring the zone and guaranteeing not to threaten or use nuclear weapons against the five States in the zone.

For more information see: Central Asian States Establish Nuclear-Weapon-Free-Zone Despite U.S. Opposition, by Scott Parish and William Potter

Former Secretary-General of PGA uses maiden speech to promote a nuclear weapons convention






Kennedy Graham , former Secretary-General of Parliamentarians for Global Action, entered the New Zealand parliament following the November 8 election and used his maiden speech as a Member of Parliament to emphasise the responsibilities that citizens, parliamentarians and the government have to creating a secure and sustainable world. He called on the parliament to adopt legislation prohibiting international aggression, and calling on the government to promote a Nuclear Weapons Convention.

Graham argued that domestic legislation to prohibit aggression would serve to implement New Zealand’s obligations under the UN Charter and ensure both State and non-State accountability in order to prevent any New Zealander being involved in an act of international aggression.

Graham argued that New Zealand could not rest on its 1987 legislation prohibiting nuclear weapons at home, but that the government needed to demonstrate genuine commitment to a nuclear weapons free world by acting more resolutely at the United Nations especially in promoting a Nuclear Weapons Convention.

For more details please click here

LONDRES: DIEGO MARADONA EL NOVELA?


Acaba de se confirmar que Maradona, El Dieguito, fara algumas aparicoes numa novela a er lncd brevemente na capital britanica, Londres! De futebol a actor de novela?
Um abraco Parisience,
MA

MISS MUNDO PARA RUSSIA!

International Renewable Energy Agency to be established in January



PNND member Herman Scheer MdB, driving force behind the International Renewable Energy Agency

On October 24, the governments of Germany, Spain and Denmark announced that an International Renewable Energy Agency (IRENA) would be formally established in Bonn on 26 January 2009.

In a statement released at the IRENA Final Preparatory Conference in Madrid, the three countries said that:

"Climate change, rising energy prices, dependency on energy imports, poverty and hunger are serious challenges for mankind. Renewable energies have the proven potential to address these challenges. But even though the potential is huge and many countries want to move into a less fossil fuel dependent future, the diffusion and adoption of renewable energies still faces severe barriers and obstacles. Acting as the global voice for renewable energies, IRENA will provide practical advice and support for both industrialised and developing countries, help them improve their regulatory frameworks and build capacity."

51 states from different regions meeting in Madrid discussed a Statute (Treaty) of the International Renewable Energy Agency which would guide the work of the new agency.

PNND member Dr Hermann Scheer, the driving force behind the initiative, believes that IRENA is necessary not only to assist countries reduce fossil fuels, but also to provide an alternative to nuclear energy which poses nuclear-weapon proliferation risks as well as risks to health and the environment. In a letter to PNND members, Dr Scheer called on parliamentarians to encourage their governments to join IRENA and to shift the nuclear Non-Proliferation Treaty’s energy emphasis away from nuclear energy and towards proliferation-benign, environmentally-sound and sustainable renewable energy technologies. Dr Scheer also invites parliamentarians to attend the IRENA founding conference on January 26 in Bonn, and has drafted a Model parliamentary resolution on IRENA to build awareness and support in parliaments.

For more information see: Nuclear Energy: The answer to Climate Change or a recipe for weapons proliferation? Dr Herman Scheer. PNND Notes 2008.

Lisa von Trapp para o PNND





PNND is pleased to announce the appointment of Lisa von Trapp as Senior Officer in France. Lisa has considerable experience in parliamentary networks having worked for Parliamentarians for Global Action, the United Nations Development Program for Parliamentary Strengthening and the Commonwealth Parliamentary Association. She currently works for the World Bank Parliamentary program on Governance (Paris Desk). She has also worked in other organisations with an international relations focus including the Institut des Hauts Etudes de Défense Nationale, New York Times (Paris Bureau), Swedish International Development Cooperation Agency (Paris Desk) and the OSCE/ODIHR Electoral Observation Mission.

Lisa will work part-time for PNND based in Paris focused on engaging members of the French National Assembly and French Senate in nuclear non-proliferation and disarmament issues and in PNND activities.

For more details please click here

Friday, 26 December 2008

A nossa Africa: Golpes, contra golpes e mais golpes!


A OPINIAO DO SAVANA

EDITORIAL
Conformismo e ruptura
Tarefa muito espinhosa espera o Presidente da República numa das suas derradeiras missões durante o ano prestes a findar.
Perante os tribunos do povo, os do seu partido e os da oposição, os que reflectem, mal ou bem, a democracia representativa que temos, Guebuza apresenta o Estado da Nação.
Como sempre, a ele e aos seus estrategos, competem as estratégias a seguir numa comunicação que pretende ser alicerçante em termos de percurso, objectivos e visão de futuro.
Como no passado recente, pode carimbar um discurso de vitórias e fantasias com o rótulo bom para consumo, como aqueles funcionários ridículos que nos cartórios notariais distribuem carimbos em todas as direcções, sem sequer perceberam muito bem o que estão a fazer e para que serve aquele ritual herdado.
É complicado trilhar caminhos velhos num ano em que começou com um erro político tremendo chamado 5 de Fevereiro e está à beira de terminar, com a palhaçada da terceira fuga do mecânico mais mediático do país.
E, neste domínio, reside um dos cismas ainda não resolvidos depois da independência. O desenvolvimento de um aparato de defesa, segurança, lei e ordem, que assegure objectivos de soberania e seja confiado pelos cidadãos desta república.
Samora Machel, claramente um cabo militar, claudicou ao tentar fazer a transição da força de guerrilha para um exército moderno e com a mobilidade táctica capaz de responder aos desafios que foram sendo colocados pelos adversários ao modelo de independência escolhido. Samora morreu, quando dramaticamente procurava encontrar um modelo e uma estrutura militar que respondesse às debilidades há muito diagnosticadas.
O Acordo de Roma, em 1992, anestesiou essas incapacidades, reduziu drasticamente a visibilidade e importância das Forças Armadas, para transformar a polícia numa força paramilitar e garante da Lei e Ordem. A herança da guerrilha, a herança do passado, permaneceu e permanece na polícia. A vontade e visão de modernidade que possa ter um engenheiro agrónomo inteligente, está provado, não são suficientes para desenvolver um corpo de Lei e Ordem em que os cidadãos se revejam. A sabotagem e obstaculização é mais que evidente.
As forças da Lei e Ordem são uma prioridade e uma das expectativas que foi rapidamente transferida para o Presidente da República, que é também o timoneiro político do país, a cabeça do executivo e o comandante das forças militares e militarizadas.
As lideranças políticas fazem-se de alianças e conjunturas. A liderança tem de decidir se este é o momento próprio para politicamente confrontar as alas gangterizadas e corrompidas que, através do sector da Lei e Ordem vêm manifestando abertamente, com sangue e tiros, que estão contra a transformação, contra um país melhor, moderno e desenvolvido. A liderança tem de decidir o espaço de conciliação e acomodação com os sectores que, não sendo claramente a face do crime e do imobilismo, são claramente aliados destes porque, psicologicamente, continuam a sentir que não foram suficientemente compensados pela independência.
Sem a resolução deste problema de fundo, temos pela frente a RDC e a Tailândia, fazer com sucesso a economia do possível procurando gerir os tumores e as gangrenas. As várias guerrilhas congolesas não impedem o funcionamento da florescente indústria mineira do Catanga. As enormes desigualdades sociais tailandesas não impedem o país de ser uma das Mecas do turismo internacional e ter uma das mais altas taxas de rentabilidade da produção orizícola. Mas os vulcões estão lá.
É esta reflexão que se espera ver aflorada pela liderança do país. Como responder estrategicamente aos desafios que se nos colocam sem decalcarmos as matrizes herdadas do colono — serviços, turismo e exportação de matérias-primas — sem abraçarmos emocionalmente os modismos das fontes alternativas de energia, ou, alavancarmos verdadeiramente o desenvolvimento na energia que sabemos que temos.
A crise, que começou por ser financeira e é agora uma crise económica profunda, exige da liderança, visão e diagnósticos desapaixonados que nos permitam traçar as nossas próprias estratégias a partir da constatação de que continuamos a ser ainda apenas periferia.
Finalmente, os moçambicanos têm expectativas em encontrar alguma sanidade mental nos caminhos para onde caminha a educação da juventude. É desastroso e prenunciador de catástrofe continuarem-se a abrir verdadeiros aviários de diplomas, sem qualidade e que está a formar o maior exército de desempregados descontentes para as próximas décadas, potencialmente com um efeito muito mais devastador que o pequeno ensaio que foi o 5 de Fevereiro.
É duro e difícil ser-se presidente de um país que se está a erguer praticamente do zero.
Mas é da liderança que se tem a expectativa de mudança, da gestão ordeira e harmoniosa dos conflitos, do desenvolvimento da auto-estima, da promoção da competência, da premiação do mérito e do avanço para a modernidade.
Da liderança espera-se que o poder não seja compartilhado por um bando de malfeitores e corruptos.
Para que o poder não caia na rua.

MY PICK OF THE YEAR!

From Cartagena, With Love
Colombia's vibrant seaside city is experiencing a rebirth. The country's long civil war has subsided, but the attraction for Liz Ozaist was deeper: She went to discover the place that first enchanted her father 20 years ago.
By Liz Ozaist, November 2008 issue | Subscribe to the magazine

Plaza de la Trinidad, where the locals like to hang
Plaza de la Trinidad, where the locals like to hang (Ana Nance) [enlarge photo]
A week after I booked my tickets to Cartagena, the Colombian military launched an attack on a group of FARC rebels hiding in neighboring Ecuador, prompting Venezuela to move 6,000 soldiers to its border with Colombia. The raid was Colombian President Álvaro Uribe's latest attempt to quash the narco-terrorist group that had given his country a bad rap. I was annoyed.

For months, my friends and family had questioned my sanity when I told them I was going on a trip to Cartagena, a jewel-box city in northern Colombia. Even my husband, Todd, who once tried to convince me to bungee jump off a bridge in Zimbabwe, asked if he needed to bring a bodyguard. The fact that the country was suddenly in the news wasn't helping my cause. But I didn't budge—we were going.
(Map by Newhouse Design) [enlarge photo]


COASTAL CHARM
Many pleasures—simple and sophisticated—are revealed in our guide to this Colombian city by the sea.
• Launch the slide show
VIDEO
• Grupo Compay Segundo performs the Cuban song "Chan Chan"

Ever since my father had visited the 16th-century walled city when I was a kid, I'd been obsessed with seeing it for myself. After each of his trips, he told me what a magical place it was, a city that hadn't changed much since the Spanish founded it in 1533. And even in the 1980s—some of the most violent years of Colombia's civil war—my dad felt safe in Cartagena, far removed from the unrest in cities like Bogotá.

On the plane, however, Todd still isn't convinced. "Remind me why we're doing this?" he asks.

"Because Cartagena is not Bogotá, and even that city is OK to visit nowadays," I reply.

Todd's seatmate, a man wearing a crisp guayabera, looks amused by our conversation. "I'm always happy to see Americans going to my homeland," he tells us. Now living in New Jersey, Carlos Bossuet Marino is on his third trip to Colombia this year. "You visit once and you have to go back—it has that kind of effect on people," he says. "That's why I bring different friends with me each time, to show them what this beautiful country is really like."

We've divided our week between the Centro Histórico—where most of the city's European-style plazas and colonial sights are located—and the somewhat grittier but lively area of Getsemaní. Rather than stay in a hotel, I've booked us rooms at a couple of more intimate guesthouses, which have sprouted up in recent years. Since the mid-1990s, many Colombians have made Cartagena a second-home retreat, buying up old, neglected buildings at rock-bottom prices to convert them into restaurants, bars, and inns. Many of the guesthouses have just a handful of rooms and a couple staff members, so you really feel as if you own the place. There's just one catch: You may need a little luck finding them.

After settling into our Moroccan-style room at Casa El Carretero in Getsemaní, I notice that our cheerful housekeeper, Alicia, keeps asking if we can find our way back to the hotel. "Sí, claro," I respond, letting her know that, sure, we can manage. What I don't seem to notice as we set out to explore is that our casa doesn't have a sign, and that all the houses on all the streets look strikingly similar—rows and rows of colorful buildings with identical arched doors. When I realize that I've forgotten my hat, we end up wandering the dusty streets for half an hour before finally stumbling upon the church plaza next to our place. Alicia laughs when I tell her that we got lost, then points to the fancy door knocker next door. So this is the secret to distinguishing one home from the next: Each knocker has a distinct personality. There are lioness heads, giant iguanas, and—Todd's favorite—a delicate hand cupped over a buzzer.

Walking down streets just wide enough to fit one of the city's ubiquitous horse-drawn carriages, I'm reminded of San Telmo, the timeworn barrio in Buenos Aires where the tango was born. Life is lived here, and most of the time, it's in the streets. Old men push creaky carts laden with halved coconuts and corn pancakes, while teenagers carry carpenters' boxes packed not with tools but with thermoses. They're selling a quintessential Cartagenan drink known as tinto, a Dixie-cup-size shot of coffee.

As we head toward the hilltop fortress of Castillo San Felipe de Barajas, the noonday sun is blazing, and people have their shutters swung open. A mix of Cuban and Colombian vallenato music pulses from every window, making me think of my father. He passed away suddenly a month before our trip, and I never got the chance to tell him I was visiting his beloved Cartagena. Now that I'm here, I feel oddly close to him. "I can see why he liked this place," I say, maneuvering around a donkey cart stacked with ridiculously long planks of wood. "I bet this is where he fell in love with Cuban music."

It's then that I realize our climb up to San Felipe, which looked like a short walk from the rooftop of our hotel, is in fact a decent hike. In the hot sun. With no water. When we finally reach the fortress, which resembles a Mayan ruin, we scale the stone path to the top and are rewarded with panoramic views of Cartagena. The Spanish built the fortress and its surrounding walls in the 17th century to keep pirates from raiding their stockpile of gold and emeralds. Today, as we look out at the city, a flag at least 20 feet wide flutters above us, animated by the trade winds that carried the Spaniards here in the first place.

Overheated, Todd and I hail a cab back to the casa and cool off in the rooftop pool before dinner. It's only 4 p.m., but the plaza below is hopping. Couples are dancing to music drifting from a café across from the church, and children are chasing each other in the street, dogs nipping at their ankles. In Getsemaní, most nights are like a big block party that lasts into the early morning, which could explain why some of the city's most popular bars and clubs are here, crammed on a stretch of Calle del Arsenal.

Turismo em Mocambique


Cidade de Pemba Termina o ano histórico de Pemba
TERMINA o ano em que a cidade de Pemba se sentiu mais referenciada por muitos motivos, desde a sua passagem para o Clube das Mais Belas Baías do Mundo, uma prestigiada associação dos mais lindos recortes litorais do planeta, passando pelo facto de ser em 2008 em que celebrou as “bodas de ouro”, adicionado às eleições autárquicas que tiveram lugar, quase no fim e que ditaram que os dirigentes municipais terão que ser outros, bem assim por se tratar do ano em que um grande estudo virado para o futuro da baía e cidade de Pemba foi apresentado pela USAID, no quadro do desenvolvimento do turismo na região norte de Moçambique.


Maputo, Sexta-Feira, 26 de Dezembro de 2008:: Notícias

Thursday, 25 December 2008

O MEU MUSICO DO ANO : AZAGAIA


Zambezia: Monte Mabu um paraiso na terra?

Uma zona montanhosa de Moçambique ficou muito tempo ignorada pela ciência, por não ser identificada devidamente no Google Earth, um mapa disponível na Internet com imagens satélites de qualquer parte do globo.

Ao realizar pesquisas no Google Earth, um grupo de cientistas detectou uma estranha zona verde, algures na provincia da Zambezia. Logo a seguir, uma expedição liderada pela Grã-Bretanha foi enviada ao local e encontrou cerca de sete mil hectares de floresta conhecida como Monte Mabu, rica em biodiversidade.

Em apenas três semanas, os cientistas, liderados por uma equipa da Royal Botanic Gardens, identificaram centenas de espécies diferentes de árvores, pássaros, borboletas, macacos e novas espécies de serpentes gigantes.

As amostras das espécies encontradas pelos cientistas encontram-se na Grã-Bretanha para efeitos de análise.

Até agora, os cientistas dizem ter descoberto três novas espécies de borboletas e uma nova de serpentes, mas acreditam existir mais duas novas espécies de plantas e também mais insectos por descobrir.

O cientista Julian Bayliss diz ter identificado Monte Mabu numa altura em que estava a pesquisar um possível projecto de conservação no Google Earth. Ele estava procurando áreas de terra situados a 1,6 metros abaixo do nível do mar onde a queda da chuva possa resultar em florestas.

Para a sua surpresa, ele encontrou zonas verdes que denotavam a existência de áreas arborizadas em lugares supostamente não exploradas anteriormente. Depois de observar melhor o mapa, ele decidiu se deslocar para ver o local “in loco”.

A expedição foi realizada por 28 cientistas de Moçambique, Reino Unido, Malawi, Tanzânia e Suíça. O grupo permaneceu numa área abandonada e com dificuldades sérias de usar o seu equipamento para levar a cabo as suas investigações.

Eles identificaram três novas espécies de borboletas Lepidoptera e um novo membro da família de serpentes do Gabão capaz de matar um ser humano com apenas uma mordida.

Uma espécie de antílope azul, macacos-simango, elefantes, quase 200 diferentes tipos de borboletas e milhares de plantas tropicais constam de outras espécies supostamente descobertas pelos cientistas.

O líder da expedição, Jonathan Timberlake, disse que imagens digitais ajudam os cientistas a descobrirem mais sobre o mundo.
Igualmente, ele disse acreditar a existência de pequenas bolsas de diversidade a volta do planeta ainda por descobrir que podem ser aproveitadas através da pesquisa em Google Earth, particularmente em Moçambique e Papua-Nova Guiné, países ainda não explorados amplamente.

Segundo Timberlake, a descoberta de novas espécies não é apenas importante para a ciência, mas também porque ajuda os esforços de conservação das espécies em partes do planeta onde a natureza está sob ameaça devido a exploração madeireira e do desenvolvimento.

A fonte referiu que o próprio Monte Mabu está sob ameaça devido ao crescimento da economia do país, uso da madeira como combustível alternativo ou prática da agricultura.

“Não podemos dizer que já descobrimos todas as áreas de biodiversidade do planeta. Ainda existem algumas por descobrir e tal ajuda a identificar novas espécies para permitir que o público conheça os novos factos”, disse ele.

In AIM