Friday, 9 April 2010

Balança de pagamentos de Moçambique deteriorou-se em 2009

Balanço do Plano Económico e Social



A informação consta no documento do balanço do Plano Económico e Social de 2009, que ainda carece de aprovação pelo Conselho de Ministros, onde se indica que as exportações decaíram 26%, no ano passado, “justificado pelo impacto da crise financeira internacional”, enquanto as importações cresceram cerca de 8%.

Maputo (Canalmoz) – O volume das exportações nacionais reduziu significativamente em 2009, em relação ao ano anterior, determinando a deterioração da balança de pagamentos de Moçambique no comércio internacional, que já vinha sendo negativa. A informação consta no documento do balanço do Plano Económico e Social de 2009, que ainda carece de aprovação pelo Conselho de Ministros, onde se indica que as exportações decaíram 26%, no ano passado, “justificado pelo impacto da crise financeira internacional”, enquanto as importações cresceram cerca de 8%.
No início do ano passado, o Governo previa a exportação total de bens nacionais correspondentes a 2 926 milhões de dólares norte-americanos, o que representaria um aumento de 10% em relação às exportações num valor correspondente a 2 688 milhões de dólares em 2008. Mas, até Setembro de 2009, o desenrolar do comércio com outros países obrigou o Governo a reajustar as previsões para 1 951,3 milhões de dólares, que seriam alcançados até Dezembro do ano findo, o que representa a queda das exportações em 26%, comparado com 2008.
Relativamente às importações, o PES de 2009 prevê, para Dezembro de 2009, um valor total de USD 3 928 milhões, o que, comparado com o que foi registado em 2008, representará um aumento de 8%, decorrente do acréscimo das importações dos grandes projectos em 9% e do resto da economia em 8%.
Até Setembro de 2009, as exportações totais de bens reduziram em 37,2%, para USD 1 285,0 milhões, comparativamente ao período homólogo de 2008, em que as exportações já atingiam USD 2 471,4 milhões.
Em parte, o Governo atribui a queda das exportações globais à “redução das exportações realizadas pelos grandes projectos em 38,8%”, correspondente a USD 896,7 milhões. As exportações dos restantes sectores da economia que não integram os grandes projectos baixaram 33%, em comparação com 2008, atingindo USD 388,3 milhões, consta no documento do Governo.
Apenas três produtos de exportação, nomeadamente amêndoa de caju, energia eléctrica e ilmenite, mantiveram e aumentaram o seu nível de exportação, tendo os demais produtos conhecido quedas assinaláveis.
Da exportação da energia eléctrica, o Governo obteve ganhos fixados em 197,7 milhões de dólares americanos, “resultante do aumento em 8% da quantidade exportada, para MWh 9 110 879,6, repartida entre exportações para a África de Sul – MWh 7 823 953,0 (86%) e para o Zimbabwe – MWh 1 286 926,6 (14%)”.
Os produtos que registaram grandes quedas em 2008 são:

– o alumínio, cujas receitas alcançadas com a venda de lingotes deste produto reduziram em 47,3%, para USD 609,6 milhões, devido à queda do preço de alumínio no mercado internacional;

– o camarão, em que as receitas geradas pelas exportações reduziram em 66,7%, para USD 16 milhões, devido à contracção da procura no mercado internacional, decorrente da crise financeira e económica internacional;

– o açúcar, do qual, entre Janeiro e Setembro de 2009, foram exportadas 84 000 toneladas de açúcar amarelo, menos 39% comparativamente ao período homólogo de 2008, tendo como principal destino (62%) os mercados preferenciais da União Europeia, o que determinou a redução da receita em 31,2%, para USD 43,8 milhões.

O algodão, a castanha de caju, o tabaco, os combustíveis e o gás são outros produtos que o Governo diz que tiveram uma redução nas exportações, arrastando consigo o pendor da balança de pagamento para níveis mais desfavoráveis para Moçambique.

(Borges Nhamirre)

No comments: