Thursday, 20 June 2013

De Guebuza a Museveni - os perigos da Escola de Dar Es Salam para a Democratizacao de Africa

De visita de trabalho a alguns municipios da Africa Oriental sou bafejado por quatro noticias que me preocupam! Alias que preocupam a qualquer mocambicano. Estamos a falar do assalto ao Chefe do Estado Maior das Forcas Armadas (e consequente perda de um computador e de tres pistolas), a perseguicao dos medicos grevistas mesmo depois de terem parado com a greve, o anuncio de quase retorno a guerra pela lideranca de Renamo e a continuacao das avarias propositadas no recenseamento eleitoral. A somar a estas inquetacoes e para contrastar com a 'Paz de Kigali', recebo no meu celular a noticia do espancamento do meu colega e amigo, Erias Lukwago, Presidente do Municipio de Kampala a semelhanca dos espancamentos que o actaul Primeiro Ministro do Zimbabwe, Morgan Tsvanguirai recebeu ha alguns anos atras. Estas noticias, que parecem separadas parece terem algo em comum - A escola politica de Dar es Salam, onde tanto Guebuza, Mugabe como Museveni beberam a 'arte da violencia'!

Ha dois meses reportei neste blog algo estranho - a realizacao de uma conferencia de governos locais da Commonwealth em Kampala, sem que Erias Lukwago, o Presidente do Municipio de Kampala, a cidade anfitria, fosse convidado! como e que uma organizacao do calibre da Commonwealth pode cometer uma 'gaffe' destas?

 Para perceber os contornos desta aberracao visitei o meu colega, que explicou em primeira mao o que estava a acontecer em Kampala e pelos vistos nao foram precisos mais de dois meses para que a leitura do meu colega se consubstanciasse! Ha duas semanas tambem em Kampala, Yoweri Museveni mandou o seu filho, que e o chefe das forcas especiais, invadir dois jornais de Kampala (O Monitor e Red Pepper) mantendo-os encerrados por mais de duas semanas, alegadamente por terem publicado uma carta do seu Chefe de inteligencia que se encontra foragido algures em Londres!

Em casa, noto que definitivamente Armando Emilio Guebuza inspirado nas tacticas de Museveni, que tambem nao quer abdicar do poder (e tem a sua esposa como ministra) e de Mugabe, nao quer (tambem) abdicar do poder! Para isso vem ensaiando varias estrategias, (1) lancou a esposa no terreno para testar a sua popularidade no intuito de emular o modelo (Argentino) Kisner (esqueceu-se que O Kisner morreu logo depois da esposa tomar posse), (2) projectou a milionaria filha (Museveni tem o seu irmao bem como o filho bem posicionados na hierarquia militar) e o testa de ferro no Comite Central, (3) ensaiou um balao de oxigenio que pomposamente chamou de 'Revisao da Constituicao', com o intuito de tentar forcar um terceiro termo ou entao ensaiar um 'Modelo Putin', e para tal colocou Mulembwe como bode espiatorio, (4) 'provocou' a Renamo em Muxungue, (5)mandou prender e espancar o Secretario Geral da Renamo, com o intuito de arranjar um pretexto para uma possivel reaccao da Renamo que o possibilitaria a declarar um 'Estado de emergencia' e assim adiar quer as autarquicas quer as parlamentares e presidenciais, (6) ensaiou negociacoes para testar a possibilidade de um acordo com a Renamo para instituir um governo de transicao adiando assim sine die as eleicoes, (7) infiltrou seus sequazes da ONP e outros da securocracia na CNE e no STAE, (8)nomeou governadores e ministros de pe descalso e sem medula espinal, (9) acantonou no congresso de Pemba todos os que ousavam usar seus cerebros... e (10) expurgou a lideranca da ala juvenil do seu partido abrindo assim caminho para a sua consagracao vitalicia no comando da Frelimo e quica do pais!

O que nos preocupa nesta sequencia de eventos nao e o 'barulho dos maus', incluindo Guebuza, Paunde, Pacheco e companhia mas o silencio "dos bons" dentro (Mulembwe, Comiche, Katupha, Gamito, Jorge Rebelo) e fora da Frelimo, da Sociedade Civil, Os Bispos, os Sheiks, os jornalistas, a Comunidade Internacional, dos academicos e outros que em qualquer sociedade sa deveriam no minimodistanciar-se de tais praticas!  Parec que nos esquecemos todos de que Hitler, foi eleito democraticamente e pouco a pouco foi construindo um estado monstruoso que acabou destruindo a Alemanha!

Nao menosprezemos a capacidade destruidora da Escola de Dar Es Salam desde Guebuza, Museveni, Mugabe, Zuma e companhia limitada! Quando pessoas da 'craveira' de Mazula fazem corro a estes atropelos e porque de facto o doente esta em coma!... e como para bom entendedor meia palavra basta, ficamos por aqui lembrando ovelho ditado- 'diga-me com quem andas que te direi quem es'!

E mais nao disse! Assante Sana!

Um abraco de Nairobi, Manuel de Araujo

2 comments:

Claudia Van der Wal said...
This comment has been removed by the author.
Zito Ossumane said...

Gosto