Monday, 8 November 2010

Revela PNUD

Moçambique é o 4.º país pior do mundo e o 3.º pior da África Austral no Índice de Desenvolvimento Humano 2010


As condições de vida dos moçambicanos, durante o período em avaliação, deterioraram-se, especificamente a educação, a saúde e o rendimento por pessoa. Numa classificação de 169 países, Moçambique encontra-se quase na cauda com 0,284 pontos, um índice de desenvolvimento humano considerado “muito baixo”.
Mais um relatório, desta vez das Nações Unidas, chumba as políticas do Governo do dia, mais um que desde a independência nacional em 1975 tem estado ininterruptamente a cargo do Partido Frelimo. Trata-se do relatório anual do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), tornado público sexta-feira última, que coloca Moçambique como o 4º país mais subdesenvolvido do mundo, apenas à frente de Burundi, Níger, República Democrática de Congo e Zimbabwe, todos por sinal países africanos e dois deles membros da SADC.
O Índice de Desenvolvimento Humano, que é publicado há já 20 anos, é considerado dos instrumentos mais eficazes e credíveis para avaliar o desenvolvimento humano de um país. Analisa a educação, saúde e rendimento per capita da população de um país e conjuga-os para tirar as conclusões sobre o desenvolvimento humano das pessoas.
Numa classificação de 169 países, Moçambique encontra-se quase na cauda com 0,284 pontos, um índice de desenvolvimento humano considerado “muito baixo”.
Apenas quatro países do mundo estão pior do que Moçambique. Entretanto, trata-se de países atípicos, fortemente fustigados por guerras ou por crises históricas. Burundi, Níger, República Democrática de Congo – marcados por conflitos armados e Zimbabwe – a braços com uma crise histórica, são os únicos piores do que Moçambique que deixou de ter guerra a 04 de Outubro de 1992, há 18 anos.
Na região da África Austral, Moçambique supere apenas República Democrática de Congo e o Zimbabwe de Robert Mugabe.
Em 2009, o PNUD avaliou 182 países e Moçambique era o 11º pior do mundo, com 0, 402 pontos, contra os 0, 284 do presente ano. Quanto mais próximo do um (1) estiver, mais elevado é o índice de desenvolvimento humano de um país. Isto mostra que não foi a redução do número dos países avaliados que levou Moçambique para uma posição pior do que a do ano passado. A pontuação também reduziu, o que mostra que as condições de vida dos moçambicanos, durante o período em avaliação, deterioraram-se, especificamente a educação, a saúde e o rendimento por pessoa.

Tendência contrária ao combate à pobreza

Este relatório é o terceiro, no espaço de dois meses, que vem mostrar resultados com uma tendência contrária ao tão propagandeado combate à pobreza em Moçambique.
O primeiro foi o relatório do Instituto Nacional de Estatística, que traz dados comprovativos de que o número de pessoas vivendo abaixo da linha da pobreza aumentou no período que coincide com a governação de Armando Guebuza. A seguir veio o estudo da Inspecção Geral das Finanças, recomendado pelos doadores, revelar o fracasso das políticas agrárias do Governo de Guebuza. Agora é o Índice de Desenvolvimento Humano, que, segundo o PNUD, deteriorou-se desde que Armando Guebuza ascendeu a Presidente da República e chefe do Governo. (Borges Nhamirre)

CANALMOZ – 08.11.2010 in Moçambique para todos

Nota: confira os dados neste link: Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Brasil

No comments: