Thursday, 8 April 2010

Gurue- Paraiso na terra?


Quem visita Gurue nao precisa confessar-se!

Marco e Abril de 2010 foram meses dedicados ao turismo! A Feira Internacional de Turismo de Berlin, 're-acordou' a minha paixao pelo turismo nacional. Reacordar sim, pois esta paixao emergiu ja em mim, ha alguns anos depois de ter visitado varios spots turisticos tanto no pais o Guludo Lodge em Cabo Delgado, O Arquipelago do Bazaruto, em Inhambane, o Parque Nacional de Gorongosa, as praias de Zalala, Muceliwa como no exterior (Skiatos na Grecia, Alhambra na Espanha, Cuba, Kilimanjaro, Tanzania, Masai Mara no Quenia, Cuba, Nicaragua, Montevideo no Uruguay dentre outros.

No festival de Berlin, pode visitar pavilhoes de mais de 100 paises, o que permitiu melhorar a minha definicao e imagem sobre o turismo nacional, que confesso mudou de forma radical e apaixonada para melhor! Redescobri e reencontrei-me com as palavras do grande impulsionador do turismo nacional, o ministro Sumbana que sea memoria nao me trai, em certo momento afirmara que 'o turismo poderia ser o petroleo de Mocambique'! Apesar de muito faltar para que esta profecia se transforme em realidade, convenco-me a cada dia que passa que se as politicas corectas forem formuladas e implementadas mais cedo do que tarde poderemos transformar esta profecia em realidade! Mas para que isso seja realidade e importante que o Plano Quinquenal do Governo, os Planos Economicos e Sociais e o Orcamento Geral do Estado, as politicas fiscais e cambiais elejam esta area da nossa economia como PRIORITARIA! O potencial que o nosso pais tem na area do turismo e incomensuravel mas tambem incmensuravel e a cronica ausencia de investimentos e de infrastrura!
Veja-se o caso das estradas que ligam a Cidade de Inhambane a Praia do Tofo, ou a estrada que liga a Cidade de Quelimane a Praia de Zalala/Supinho! Ou a estrada que vai ao Guludo Lodge ou entao a estrada que vai a Ponta do Ouro!!

Penso que numa altura em que se discutem estes instrumentos de planificacao e orcamentacao e imperioso que os nossos deputados discutam com conhecimento de causa os reais problemas que afectam a nossa economia!

E reconhecendo a minha ignorancia na area decidi medir o pulsar do turismo nacional, comecando por visitar alguns locais com potencial turistico a nivel provincial nomeadamente as aguas quentes de Nhafuba, no distrito de Nicoadala, a Praia de Zalala/Supinho, a Praia de Muceliwa, e a Cidade/Municipio do Gurue, claro passando por varios spots com potencial turistico nos distritos de Namacurra, Mocuba e Ile !!

Fiquei impressionadissimo com Gurue, alias apaixonado! Um autentico paraiso na terra, apesar do estado lastimavel das ruas do Municipio! Se alguem quer promover o turismo em Mocambique, Gurue deve ser sem margem para duvidas uma prioridade! As cascatas onde jorra agua supr limpida, a fonte de agua mineral de onde se recolhe a 'Agua do Gurue', as unidades de producao do cha, os bamboleantes campos de cha, as idilicas montanhas pintadas a verde dao uma imagem pitoresca daquele lugarejo abandonado por que deveria ama-lo!

Sai do Gurue feliz pelo potencial e cantando a famosa musica do agrupamento Primeiro de Maio (que completa 30 anos), 'Verdes campos, verdes campos...' mas revoltado com o estado das ruas do municipio, o estado das pensoes e residenciais e acima de tudo pelo estado deploravel em que se encontra a outrora famosa 'Casa dos Noivos'!


E para divulgar este potencial postaremos varias fotos desta paradisiaca cidade! E caso para dizer, 'quem conhece Gurue nao precisa confessar-se pois ja chegou ao paraiso!

Unamo-nos pois para tirar o Gurue (e quica Mocambique) do anonimato e coloquemo-lo na rota do turismo mundial! Porque, Yes we can! Nos podemos!

Um abraco,

MA

2 comments:

Sérgio Braz said...

E o mais preocupante, para dizer o menos, é notar que diante de tais constrangimentos as autoridades do Gurue (município, administração e outros) não apresentam nenhuma solução. Nem ideias, nem iniciativas, nem imaginação. É uma aridez de meter do. Seria cómico se não fosse trágico.

MANUEL DE ARAÚJO said...

Prezado Braz,

E verdade! Perante esta aridez de ideias, pergunta que naturalmente brota de qualquer mente sa e: O que fazer para mudar o cenario?
E caso para perguntar: Gurue, quo va dis?
Um abraco,

MA